Já mostramos aqui neste portal de notícias, diversos casos bizarros envolvendo práticas insanas de pessoas contra defuntos. Porém, o mais novo caso que tem escandalizado a internet é o da ex-participante do Big Brother Rússia. Infelizmente, o ato bizarro só foi descoberto pouco mais de 10 anos após o ocorrido.

Um funcionário do necrotério local, identificado por Alexander, de 37 anos, abusou do cadáver da ex-BBR. Tudo teria ocorrido no ano de 2008. Mesmo após tantos anos após a consumação do ato, o cadáver foi exumado e foram realizados vários testes que acabaram comprovando o ato bizarro.

A investigação comprovou que o homem de fato teria praticado sexo com o cadáver assim que o corpo da mesma foi entregue na unidade.

Na Rússia, esse tipo de acontecimento, por mais bizarro que seja, ainda não é algo que a constituição determine como crime. Entretanto, o homem acabou sendo demitido da unidade pelo mau com comportamento.

Parece que o ato do funcionário foi percebido por mais alguém, pois outra pessoa foi quem decidiu fazer a denúncia contra o mesmo. O que chama a atenção é que a pessoa denunciante, demorou vários anos para se manifestar, o que despertou a curiosidade de centenas de pessoas.

Foi brutalmente assassinada

A ex-participante do reality, Oksana Aplekaeva, teve sua morte confirmada em um brutal assassinato. Na época, Oksana Aplekaeva foi um dos nomes mais comentados em todo o país. A informação que foi divulgada sobre sua morte é que um caminhoneiro teria sido o responsável pelo assassinato e que em seguida teria abandonado o corpo na beira de uma estrada do país.

Mesmo sofrendo uma morte bastante conturbada e sendo notícia em todo o país, tudo isso não foi suficiente para sensibilizar o funcionário do necrotério, que decidiu abusar sexualmente do cadáver assim que o mesmo chegou a unidade para passar pelos procedimentos que antecedem o sepultamento.

Quando a denúncia chegou aos ouvidos das autoridades competentes, logo partiu a decisão de exumar o corpo da ex-BBR, onde após o procedimento de perícia, foi encontrado o material genético do acusado.

O fato do mesmo não ter sido autuado pela polícia, também tem sido uma verdadeira polêmica no país.

O ato praticado pelo homem contra o cadáver é chamado de ‘Necrofilia’, porém, diferente de outros países, não é considerado crime no país europeu. Segundo informações do ‘Daily Mail’, o homem. Além de demitido, também acabou perdendo a esposa, que ao saber da notícia, decidiu largar de imediato o seu companheiro.

Não perca a nossa página no Facebook!