Um grupo de manifestantes cristãos conservadores foram agredidos, cuspidos e receberam palavras de ódios de alguns membros ativistas LGBT, tais como "God is gay" (Deus é gay) e "Hail Satan" (Viva Satã), enquanto os cristãos estavam protestando contra as propagandas homossexuais de uma marca de roupa da Holanda. Após começar as agressões contra os católicos protestantes, a polícia foi acionada.

O começo dos protestos foi por conta de uma polêmica que veio de uma campanha publicitária, vindo de uma marca de roupas holandesa, que estava seguindo a "tendência" do mercado europeu, usando imagens de pessoas do mesmo gênero nas propagandas que estavam simulando atos sexuais, anúncios desse tipo pela mesma marca, foi publicada em vários outdoors, espalhados por toda a Holanda.

Os religiosos que foram protestar contra isso, eram todos a favor da família conservadora.

Um grupo LGBT não gostou do protesto, e cerca de 100 defensores da causa foram contra-protestar contra os religiosos, que acabaram violentando os mesmos, e esfregando, inclusive, glitter na face dos religiosos. A mesma pessoa que esfregou glitter nos cristãos estava mascarada e também atirou objetos nos manifestantes antes mesmo de ser retirada pela polícia holandesa.

Um dos protestantes católicos estava filmando o ato dos homossexuais no momento, mostrando a violência que os mesmos estavam usando contra eles, e um dos LGBT cuspiu no "cameraman". Lucas Zoonen, um dos protestantes cristãos, afirmou que recebeu um soco no rosto. O mesmo disse que os ativistas LGBT tentaram pegar a capa dele e rasgá-la.

Outra pessoa disse que isso não havia sido uma manifestação pacífica, por conta do ato do grupo ativista, e afirmou que eles são hipócritas por dizerem que estavam sendo intolerantes, mas o próprio grupo LGBT foi intolerante e agressivo com eles. Uma pessoa gerou polêmica, cantando aos gritos de "Deus é gay" e "Viva Satã". O líder do comício, Hugo Bos, disse que as ações dos contra-manifestantes mostra o quão bizarra é a diferença entre o que eles praticam e o que eles pregam.

Bos ainda disse que as ideias dos LGBT sobre liberdade de expressão foi mostrada que é uma farsa, porque os mesmos apenas escutam as opiniões "corretas", que seriam as mesmas das opiniões deles, e quem tem opinião contra o casamento gay não é politicamente correta.

Outro membro que estava protestando, também falou sobre o ocorrido, e disse que um ativista LGBT falou à um jornal que os "homens homofóbicos não podem ter voz em nossa sociedade" porque "eles são fascistas". Porém, segundo o cristão, os LGBT provaram ser hipócritas, "Praticando tolerância e não agindo de acordo".

O líder dos protestantes religiosos disse que isso é apenas o começa, e que agora irão fazer uma campanha mais intensa pela família tradicional, e segundo ele, não irão parar até que as famílias estejam completamente protegida da revolução sexual.