Uma equipe de reportagem da Univisión, a maior rede de televisão em espanhol dos EUA, ficou retida por cerca de duas horas no palácio Miraflores, sede do governo venezuelano, em Caracas, na tarde desta segunda-feira (25), após o presidente Nicolás Maduro não gostar do teor das perguntas feitas pelo repórter Jorge Ramos.

O jornalista disse em uma entrevista que havia perguntado a Maduro se ele era um presidente ou um ditador, pois milhões de venezuelanos não o consideram legítimo. Ramos também haveria mostrado a Maduro um vídeo de jovens venezuelanos se alimentando de restos de comida encontrados em um caminhão de lixo.

Nesse momento Maduro interrompeu a entrevista e saiu. Logo depois, seguranças confiscaram os equipamentos e todo o material gravado.

Após o acontecido, os jornalistas voltaram ao hotel onde estavam em Caracas. Ramos, em uma entrevista por telefone à Univisión, perguntou que se esse e o tipo de coisa acontece com os correspondentes estrangeiros, imagina o tipo de barbárie que os civis venezuelanos enfrentam.

Outro caso

Não e a primeira vez que esse tipo de conflito acontece com Jorge Ramos. Em 2015 ele teve problemas com o atual presidente dos EUA, Donald Trump, sendo expulso de uma entrevista coletiva com o na época ainda pré-canditado à presidência. Ramos levantou um questionamento sobre deportação e imigração que não foram do agrado de Trump que o ignorou e logo cedeu a palavra a outro jornalista.

Ramos insistiu e Trump o cortou novamente. Jorge disse que ele tinha total direito a pergunta, então o atual presidente o expulsou da sala. “Volte para a Univisión” disse Trump.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!