No último domingo (17) um acidente de avião da empresa Lion Air chocou o mundo ao vitimar 189 pessoas, não deixando sobreviventes. A aeronave em questão, um Boeing 737 Max 8, caiu na região da Indonésia e imediatamente a tragédia passou a integrar a lista dos piores desastres do tipo.

Na última quinta-feira (21), foram divulgados detalhes acerca do Acidente, como o registro de voz obtido através do gravador na cabine ocupada pelo piloto e pelo co-piloto do avião. De acordo com o registro, o co-piloto teria rezado durante o acidente ao mesmo tempo em que procurava uma solução para o problema que, segundo a agência Reuters, teria começado a acontecer tão logo o avião decolou.

Piloto comunicou problema à torre de controle

Enquanto tentava salvar o voo, o piloto pediu ao seu co-piloto que lesse para ele o manual de instruções do avião para tentar controlar a perda de altitude e, simultaneamente, contactou a torre de controle do tráfego aéreo pra avisar a respeito do problema, que consistia em um aviso, por parte do sistema do próprio avião, de que a aeronave estava perdendo a sua capacidade de sustentação.

Mesmo com as tentativas do piloto de recuperar a altitude, o sistema em questão continuava a noticiar a falha e o avião era, cada vez mais, puxado pra baixo, o que, provavelmente, se deve a uma falha em um dos sensores da aeronave.

Algum tempo antes que a queda efetivamente acontecesse, o piloto teria decidido checar o manual de instruções, entregando o comando do avião para o co-piloto.

A essa ação seguiu-se um silêncio, durante o qual se pôde escutar o co-piloto pronunciando as palavra “Allahu Akbar” que, em tradução livre, significam “Alá é grande”, evidenciando um pedido de ajuda através da oração.

De acordo com Nurchayo Utomo, o responsável por investigar questões relativas ao acidente, nos últimos vinte segundos da gravação do cockpit era possível perceber o pânico se instaurando.

Utomo relatou que ao final da situação, o piloto parecia sentir que não conseguiria recuperar a altitude e começou a sentir medo.

Esse acidente se assemelha a outro ocorrido em 10 de março de 2019. Ambas as aeronaves envolvidas nos acidentes em questão eram do modelo Boeing 707 Max 8. Porém, no momento, a investigação não revelou detalhes que apontem para uma possível falha no modelo em questão.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!