O Nepal meridional foi assolado por um forte temporal no domingo (31). Segundo informes das autoridades do país, foram contabilizados 28 óbitos. Números esses que, no entanto, podem aumentar conforme o tempo e as buscas avançam.

Nesta segunda-feira (1º), as equipes de resgate designadas para a função estão tentando chegar às regiões mais afastadas do pequeno país, encravado entre a China e a Índia, na região da cordilheira do Himalaia.

Segundo informes da agência de notícias Reuters, neste domingo, o número de pessoas feridas girava em torno das 400.

Além disso, o temporal também destruiu e derrubou casas e postes de distribuição de energia no distrito de Bara, que corresponde por 27 das 28 mortes.

A região, localizada a apenas 62 quilômetros ao sul da capital Katmandu, próxima à fronteira com a Índia, é a mais atingida pela fúria da Natureza. O distrito vizinho Parsa é o local da 28ª morte, segundo o administrador local relatou à agência de notícias Associated Press.

O primeiro-ministro do Nepal, K.P. Sharma Oli, já se manifestou, prestando suas condolências às famílias das vítimas e informando que os helicópteros destinados ao resgate já se encontram de prontidão para o início das operações de resgate.

Na região afetada pela tempestade, esses eventos se tornam comuns nessa época do ano, pouco antes do período das monções. No entanto, a intensidade que foi relatada e sentida nesse último domingo é um evento raro, bem como os danos subsequentes à propriedade e às vidas humanas.

Geografia do Nepal dificulta envio de ajuda humanitária

O Nepal é um país pobre e sem acesso ao mar. Sua economia é baseada na agricultura e turismo (por ser o local de nascimento de Sidarta Gautama, o Buda). As atividades econômicas, inclusive, estão prejudicadas pelo fenômeno natural que ocorreu no fim do último mês.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Natureza

Também deve-se lembrar que o Nepal é um estado que não possui saída para o mar, dificultando uma eventual ajuda internacional, que teria, obrigatoriamente, de percorrer parte dos territórios de seus países vizinhos para prestar algum auxílio.

Ainda parte de seu território é extremamente montanhoso, pois é parte da cadeia de montanhas do Himalaia, a maior do mundo em altura e uma das maiores em extensão. Até o fechamento dessa matéria, não há informações sobre as condições de saúde da população nas áreas afetadas.

Tampouco há novidades quanto à previsão para a realização dos trabalhos de resgate. Nenhum país ainda se manifestou sobre a possibilidade de envio de ajuda humanitária.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo