Depois que o corpo do pequeno Malachi Lawson, de 4 anos, foi encontrado em uma lixeira, a mãe do garoto, Alicia Lawson, e a companheira dela, Shatika Lawson, foram acusadas de homicídio culposo –quando não há a intenção de matar– e maus-tratos. O caso aconteceu na cidade de Baltimore, nos Estados Unidos. Nesta segunda-feira (5), uma audiência negou a liberdade das acusadas sobre pagamento de fiança.

Devido aos crimes cometidos, o casal pode ser condenado à prisão perpétua. Segundo informações da imprensa do país, a Polícia do município encontrou o corpo do garoto dentro de uma lixeira no último sábado (3). Com base na autópsia, também se sabe que o menino sofreu queimaduras graves no dia 23 de julho, enquanto sua mãe lhe dava banho.

Após as graves queimaduras, o casal de mulheres tentou cuidar sozinho do menino, sem comunicar nenhum atendimento médico sobre o ocorrido.

Segundo Alicia, elas optaram por não acionar as autoridades com medo de que Malachi fosse encaminhado para os Serviços de Proteção à Criança. A mãe do menino também explica que seu medo vem decorrente de um histórico negativo junto à entidade.

Casal chamou carro por aplicativo

Ainda segundo a mãe de Malachi, ela e sua companheira chamaram um carro através de um aplicativo, e foi nesse veículo que levaram o corpo de seu filho até uma lixeira próxima ao bairro onde moravam.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Através de informações da FBI (a polícia federal americana), já se sabe também que no dia da morte do menino Alicia navegou em diversos sites de coleta de lixo. O menino entrou em óbito na última quinta-feira (1).

Durante as investigações, a polícia constatou que a água da residência estava esquentando muito pouco. No entanto, o advogado da companheira de Alicia esclareceu que após as queimaduras do garoto elas pediram para que o zelador do prédio consertasse o problema da água, que segundo elas estava esquentando muito.

De acordo com a situação do corpo do garoto e também da autópsia foi descoberto que ao retirarem o menino da banheira, o casal pôde ver pedaços de pele dele flutuando na água. "Elas puderam ver a pele do corpo dele flutuando na água”, apontaram.

Menina é encontrada morta no Paraná

Um dia após o menino ter sido encontrado morto nos EUA, Sara Manueli Silva, de 9 anos, também foi encontrada morta em Londrina, no Paraná.

A menina morava com a mãe, os irmãos e seu padrasto, e estava desaparecida desde sábado (20). Quando desapareceu a menina estava em casa apenas com seu padrasto, que confessou o crime depois que o corpo de Sara foi encontrado em um matagal com marcas de abuso. Após confessar o crime, o padrasto da menina foi preso e segue à disposição da Justiça. Agora, o caso será investigado e o corpo de Sara foi encaminhado ao IML do município.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo