Nas redes sociais não é raro ver famosos ou anônimos postando fotos ao lado de seus pets. Cães e gatos são cada vez mais exibidos na web, muitos possuem até perfis oficiais administrados por seus donos. A argentina Lara Sanson teve a mesma ideia, porém, ao lado do cão de um amigo. De acordo com o site UOL, na última terça-feira (14), Lara usou seu perfil no Twitter para compartilhar uma sessão de fotos que segundo a mesma "deu errado". Na sequência dos registros é possível ver a jovem abraçada ao lado do cão e o momento exato em que o anima lhe dá uma mordida no rosto.

A jovem também mostrou o resultado do ataque e falou sobre como se sentia em relação ao fato inusitado. Segundo o site G1, o médico veterinário Fortunato Serruya enumera vários fatores que podem fazer com que um cão ataque, dentre eles medo, instinto, maus-tratos ou traumas de infância.

Jovem não guarda rancor

Segundo o site UOL, em entrevista à emissora argentina Todo Notícias, Lara Sanson afirmou que se sente bem e não guarda rancor do cão, que pertence a um amigo. A jovem relatou que estava na residência de um amigo junto a várias outras pessoas quando viu um cachorro muito bonito e resolveu tirar algumas fotos junto ao animal, mas que acabou se dando mal com a atitude.

Lara também afirmou que já conhecia o cão, mas não frequentaria muito sua casa. Ainda de acordo com Lara, o pet chamado Kenai possui aproximadamente 10 anos de idade e jamais havia atacado alguém.

A jovem acredita, ainda, que a maneira a qual se aproximou do animal teria acabado intimidando-o, pois havia colocado o rosto muito próximo a ele, o que teria acabado assustando-o e desencadeando o ataque reacional.

Em um dos registros exibidos nas redes sociais, Lara, que vive em Tucumán, na Argentina, exibiu o rosto cheio de hematomas e pontos após ser socorrida e receber atendimento.

Veterinário alerta sobre ataque de cães

De acordo com o site G1, o médico veterinário Fortunato Serruya afirma que a maioria dos cães que atacam não vivem nas ruas, e sim dentro das residências.

Serruya enfatiza que o ataque independe da raça ou do porte do animal, podendo se relacionar com inúmeros outros fatores como medo ou instinto. No grupo de risco de vítimas em potencial se encontram crianças, por estarem mais próximas aos Animais, e também ciclistas, devido aos movimentos bruscos que acabam atraindo o animal. O especialista ainda define um grupo de raças de cães que possuem comportamento mais agressivo, dentre eles estão o Fila Branlen, Rottweiler, Pastor Alemão, Doberman, Pitbull e Bul Terrier. Em caso de ataque, recomenda-se não olhar diretamente nos olhos do animal, não correr e não realizar movimentos bruscos.

Recomenda-se que a pessoa busque se afastar lentamente do cão de costas.

Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!