O Palácio de Buckingham anunciou neste sábado (18) que o príncipe Harry e Meghan Markle fizeram um acordo em que abandonam suas funções oficiais na família real britânica. O comunicado oficial diz que o casal não receberá mais financiamento público para deveres reais, porém eles poderão continuar com seus patrocínios e associações pessoais, mas não representarão mais a rainha oficialmente.

Eles também estarão impedidos de usar os títulos "suas majestades reais" e também devolverão a quantia em dinheiro que foi usada para reformar a casa do casal, cerca de 2,4 milhões de libras, quantia esta que foi paga com dinheiro do contribuinte.

O casal pretende manter a residência em Frogmore Cottage, na cidade de Windor.

O comunicado diz ainda que o duque e duquesa de Sussex demonstraram gratidão à sua majestade e também à família real pelo apoio que eles têm recebido para a próxima etapa de suas vidas. A rainha Elizabeth II emitiu uma nota oficial em que agradecia aos dois e também afirmou que estava orgulhosa de Meghan Markle. No comunicado, a rainha diz que reconhece os desafios pelos quais os dois tiveram que passar por causa do intenso escrutínio nos últimos dois anos e ela ainda afirmou que apóia o desejo do casal por uma vida mais independente.

Depois que Meghan e Harry tomaram a decisão, foi feita uma reunião de emergência para solucionar a crise que o anúncio causou na família real e a rainha Elizabeth concordou com a situação.

O destino mais provável dos duques de Sussex é que eles irão dividir seu tempo entre Reino Unido e Canadá, e passarão mais tempo na América do Norte. No último final de semana Meghan Markle voltou ao Canadá para ficar com o filho Archie.

Megxit

Assim ficou conhecido o caso da desistência do casal em participar das atividades da família real britânica.

o caso teve imensa repercussão no Reino Unido, mas também repercutiu em outros países, como por exemplo, um jornal do Canadá que dizia que os dois não são bem-vindos no país.

Vida longe da nobreza

O Megxit não foi bem recebido pela imprensa conservadora do Reino Unido, o que significa quase toda a imprensa britânica, A crítica feita ao casal pela imprensa diz que “Ser um membro da família real não é o mesmo que ser uma celebridade”, isto foi dito para Meghan e Harry logo assim que o casal anunciou o desejo de se retirarem da família real britânica.

O que ficou constatado agora é que somente três integrantes da Casa dos Windsor não serão alvo da atenção da grande mídia, a rainha Elizabeth II (93 anos), seu herdeiro direto, Charles (71 anos) e o príncipe William, o terceiro na linha de sucessão. O trio é visto como um conjunto da estabilidade continuada, o “ramo dignificador” do poder, que atua ao lado do “ramo eficiente”, que é representado pelo governador, esta foi a definição de Walter Bagehot em seu livro “A Constituição Inglesa (manual de cabeceira de George V, George VI e Elizabeth II)”.

Siga a página Famosos
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!