Devido aos números alarmantes ligados à epidemia do coronavírus, o simples ato de cumprimentar uma pessoa que se encontra na rua acabou se tornando um verdadeiro ato de pavor. Assim, como forma de evitar esse tipo de contato sem passar por alguém mal educado, as pessoas começaram a pensar a respeito de novos cumprimentos.

As maneiras encontradas para driblar essa questão são cada vez mais inventivas. Nesse sentido, algumas pessoas passaram a se cumprimentar fazendo uso dos pés, de forma que evitam tocar as mãos ou mesmo compartilhar beijos e abraços. Esses tipos de comportamentos estão sendo cada vez mais aderidos ao redor do mundo para evitar se expor ao coronavírus.

Sylvie Briand, autoridade da OMS, chegou a compartilhar em sua conta do Twitter um desenho que mostra várias maneiras alternativas de fazer cumprimentos às pessoas, inclusive o chamado “footshake” (uma espécie de saudação com os pés) e também encostado os cotovelos.

Entretanto, para além do desenho compartilhado por Briand, cada parte do mundo tem adotado novos cumprimentos. A título de ilustração, é possível destacar que na cidade de Pequim, localizada na China, as pessoas estão fazendo uso de um gesto conhecido como gong shou para se cumprimentar e evitar apertos de mão.

Além disso, na cidade de Wenzhou, que foi bastante afetada pelo vírus em questão, as pessoas estão optando por toques com o cotovelo como forma de rejeitar os apertos de mão, beijos e abraços.

Países adotaram formas alternativas de cumprimento

Para além da China, algumas regiões do Irã também passaram a adotar outras formas de dizer “olá”. Nesse sentido, é possível destacar que o lema “não aperto a sua mão porque te amo” está sendo amplamente difundido no território citado e os homens têm avançado os punhos fechados na direção um do outro para se cumprimentar.

Outro cumprimento do país chegou a ser filmado e compartilhado nas redes sociais. A partir do compartilhamento, ele acabou viralizando. Na filmagem citada, pode-se ver três homens e dois deles estão usando máscaras. Além disso, durante todo o cumprimento, eles conservam as suas mãos no bolso e usam os pés para dizer “oi”.

Ainda se mostra válido destacar que os franceses também inovaram nos cumprimentos. Nesse sentido, um jornal do país chegou a publicar uma espécie de guia de como as pessoas deveriam se saudar, de forma que pudessem evitar apertos de mão e beijos.

Por fim, no que se refere ao Brasil, é possível afirmar que o próprio Ministério da Saúde chegou a passar algumas orientações para a população. Foi recomendado, por exemplo, que se evite compartilhar bombas de chimarrão.

Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!