Uma informação divulgada nesta segunda-feira (20), pelo canal de televisão americano CNN, passada por um oficial da Casa Branca, revelou que o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, estaria internado em estado grave após ele passar por um “procedimento cardiovascular” no início deste mês. Alguns veículos americanos chegaram a noticiar que ele havia sofrido morte cerebral.

Um dos indícios de que algo pudesse estar ocorrendo com o líder do país mais fechado do mundo seria o fato dele, pela primeira vez, não ter comparecido às festividades de 15 de abril, data de aniversário de seu avô, Kim Il-sung, fundador do regime fechado, morto em 1994.

Na ocasião, chegou-se a especular que sua ausência de um evento de tamanha importância fosse devido às precauções por causa do novo coronavírus. O Governo norte-coreano não divulga informações sobre a epidemia no país.

Fonte diz que seu estado está se deteriorando

Não existem detalhes sobre possíveis problemas cardiovasculares de Kim Jong-un possuía, bem, como foi esse tratamento. Por se tratar de um país extremamente fechado, são poucas as informações vindas de fontes do governo, que até o momento não se manifestou sobre o assunto.

Um site mantido por desertores do regime chegou a informar que o ditador se recupera em um resort na costa leste do país. Ainda segundo informações desse portal, a saúde do líder sul-coreano vem se deteriorando devido à obesidade, fumo e sobrecarga de trabalho.

A última aparição do ditador foi em, 11 de abril, desde então ele não é visto em campo de testes de misseis e nem em pronunciamentos na TV estatal.

Kim Jong-un, cuja data de nascimento é desconhecida, assumiu o poder na Coreia do Norte em 2011, após a morte de seu pai, o ditador Kim Jong-il, do qual é filho mais novo.

Governo sul-coreano diz que não é bem assim

Uma fonte do governo da Coreia do Sul informou que “não viu nenhum sinal” de que algo tenha ocorrido com o ditador norte-coreano. Falando à agência Yonhap, essa fonte informou ainda que as autoridades sul-coreanas seguem atentas aos relatos de saúde de Kim e que irá apurar as informações.

Já fontes do Partido Comunista da China relataram à agência de notícias Reuters "acreditar que Kim não esteja gravemente doente". O partido tem relações muito próximas com o governo da Coreia do Norte.

O Japão, um dos maiores oponentes ao regime comunista da Coreia do Norte, também informou que está observando atentamente a situação.

Mesmo após tentativas de aproximação com a Coreia do Sul e os Estados Unidos, na semana passada o Exército norte-coreano voltou a realizar testes com misseis de curto alcance. Os testes com projéteis balísticos foram retomados pelo país no ano passado.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!