Autoridades do estado da Califórnia informaram que mais de oito mil presidiários serão liberados para redução e contenção dos casos de contaminação pelo coronavírus. O estado da Califórnia é um dos mais afetados pela pandemia em unidades prisionais dos Estados Unidos.

Liberdade

Milhares de presidiários já foram libertados no estado desde o início da pandemia de coronavírus. De acordo com o Departamento de Correção e Reabilitação da Califórnia, a liberação de mais oito mil presos deve ocorrer no início de agosto.

O secretário do departamento Ralph Diaz, afirma que ações adotadas tem como objetivo proporcionar a saúde e segurança tanto da população carcerária como dos funcionários.

A decisão foi tomada após um aumento de casos em San Quentin, uma das primeiras prisões do estado. O anúncio foi bem visto pelos defensores da reforma prisional.

Governador

O governador da Califórnia Gavin Newsom relatou nesta quinta-feira (9) que a prisão se tornou foco de contágio da Covid-19, causando muita preocupação, chegando a registrar mil casos positivos de contaminação.

A população carcerária da Califórnia chega a 113.000 detentos. De acordo com o governador, metade de todos os casos de Covid-19 em meio à população carcerária eram das instalações de San Quentin.

Todos os presidiários que são soltos farão exames de coronavírus na semana seguinte a sua libertação. A Califórnia é o estado mais populoso dos Estados Unidos, com cerca de 40 milhões de habitantes, 300.000 casos positivos de coronavírus foram registrados e, destes, 6.800 vieram a óbito.

Anteriormente o governador Gavin já havia mencionado a preocupação com o aumento dos casos. No momento ele chegou a divulgar que 42% dos presidiários faziam parte do grupo, citando suas vulnerabilidades em termos médicos.

Surtos nas prisões

A penitenciária San Quentin não havia registrado surtos de coronavírus no local até o início deste mês de junho.

As autoridades acreditam que o aumento dos casos foi consequência da entrada de novos presos que vieram transferidos de outras prisões que já estavam contaminadas, propagando assim o vírus também em San Quentin.

A entrada dos presos teria ocorrido de forma natural sem a realização de exames da Covid-19, afirmou Matt Willis, diretor de saúde do condado de Marin.

A ação de soltar prisioneiros vem sendo realizada em vários locais do mundo, inclusive no Brasil. Algumas autoridades se apresentam contra o recurso, porém, neste momento de pandemia é a única forma de prevenir que o coronavírus se propague de uma forma que não tenha mais controle. As solturas geralmente são de presos que já cumpriram boa parte da pena, ou em prisão preventiva.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!