A médica Raissa Soares fez um apelo no decorrer desta semana ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), solicitando a hidroxicloroquina.

Na noite desta sexta-feira (3), o presidente afirmou em sua live semanal que havia enviado um avião para o sul da Bahia contendo 40 mil doses do medicamento.

Raissa publicou um vídeo agradecendo a Bolsonaro, que também foi postado pelo presidente no seu perfil na rede social Facebook.

A médica mencionou na ocasião que alguns empresários também se mobilizaram por meio de doações, e que o secretário local teria tentado algumas vezes sem sucesso conseguir o medicamento.

Por esse motivo ela decidiu gravar um vídeo para Jair Bolsonaro, mesmo afirmando estar envergonhada com a situação.

Raissa defende que a medicação enviada por Bolsonaro será distribuída por todo sul da Bahia, e agradece através do vídeo pelo pedido atendido.

Cloroquina

A cloroquina é um medicamento defendido por Jair Bolsonaro para o tratamento do novo coronavírus. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, também chegou a defender a medicação por um certo tempo, deixando a defesa de lado nos últimos dias.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) divulgou no mês de junho o resultado de estudos feitos a respeito da hidroxicloroquina. O medicamento, que não teve comprovação cientifica de sua eficácia, teve os estudos interrompidos.

De acordo com a instituição, vários testes foram feitos em pacientes de Covid-19, porém não houve nenhum resultado satisfatório para que seja possível defender o uso da medicação.

Inclusive a FDA, agência reguladora de medicação dos Estados Unidos, suspendeu a autorização do uso da cloroquina em estados emergenciais de pacientes contaminados pelo coronavírus.

Tribunal de contas da União

A produção de cloroquina no Brasil registra um gasto de R$ 1,5 milhão que foi autorizado por Jair Bolsonaro. O medicamento foi produzido no laboratório do Exército, que chegou a ampliar em cem vezes o ritmo de produção.

Essa ação acabou virando alvo do Tribunal de Contas da União, que está investigando um possível superfaturamento no processo de compras por parte do Exército Brasileiro.

A conduta do presidente Jair Bolsonaro também está sendo investigada, pois um investimento tão alto em algo sem comprovação de eficácia contra a Covid-19 pode sugerir uma má aplicação das verbas e recursos públicos.

Medicamentos testados

A SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia) divulgou nesta semana um estudo feito com diversos medicamentos usados para o tratamento de pacientes infectados.

Sobre a cloroquina no uso para prevenção, a instituição alerta que, além de não terem sido encontrados benefícios, efeitos colaterais foram relatados. Para o tratamento de casos leves, avaliações ainda estão sendo realizadas.

Entre os efeitos colaterais apresentados estão: taquicardia, risco de toxicidade, e o uso contínuo pode causar uma resistência bacteriana.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!