Uma mulher afirma ter visto Madeleine McCann no ano de 2017 em um supermercado em Portugal. As informações foram declaradas a um programa de televisão e também a policiais. Segundo o site britânico Sky News, a mulher, uma professora aposentada, relatou o acontecido em um programa de TV português na última sexta-feira (24).

O encontro

Alegando ser fluente no idioma alemão, a professora aposentada relatou que no ano de 2017 passou férias em Portugal, na costa do Algarve, e ao ir em uma loja viu a menina desaparecida quando criança, agora uma adolescente, conversando com outra menina no idioma alemão.

A loja onde a mulher supostamente viu Madeleine ficava a mais ou menos 60 km do local onde a garota desapareceu.

A mulher contou que a primeira coisa que percebeu foi a mancha no olho direito da adolescente, e ao observar atentamente associou o rosto à garota desaparecida. Ela afirma que ao perceber de quem se tratava, se dirigiu à saída do supermercado para tentar encontrar a garota, porém ela não apareceu e a professora aposentada não a viu mais.

A mancha que Madeleine tinha no olho direito é um sinal muito raro, apenas uma em cada 10 mil crianças nascem com ele.

Relatos

Após o ocorrido a mulher foi para casa e contou que supostamente teria visto a garotinha desaparecida desde 2007 no mercado para a sua família, e decidiu não relatar ao público.

Depois de um tempo a professora aposentada mudou de ideia e contou o ocorrido à Polícia portuguesa e também ao advogado Rogerio Alves, representante de McCann em Lisboa.

De acordo com informações do site britânico Sky News, a ex-professora deve ser interrogada nos próximos dias pela polícia portuguesa, porém os investigadores responsáveis pelo caso não acreditam que a menina do supermercado seja Madeleine McCann.

Desde que Madeleine desapareceu já foram feitas diversas afirmações de ter visto a garota viva em diversos países do mundo, mais de 9 mil relatos foram realizados.

Polícia

No dia 15 de julho a polícia alemã divulgou que pretendia encerrar o caso mesmo contra a vontade dos pais de Madeleine, as informações foram divulgadas no tabloide The Sun.

O fim das investigações estaria relacionado à prisão de Christian Brueckner (suspeito do caso), pois as autoridades responsáveis acreditam que ele realmente seja o culpado pelo crime, e correndo o risco de ser liberado da prisão onde está, o estado deve processá-lo nos próximos meses.

O promotor Hans Christian Wolters afirma que é de interesse para as investigações que Christian seja mantido em custódia, desta forma a equipe responsável pelo caso pode ficar em interrogatórios.

O suspeito também é investigado por um abuso cometido em Portugal, porém sua prisão baseou-se em crime de tráfico de drogas. Seus advogados realizaram uma apelação, e caso obtenham sucesso ele poderá voltar às ruas.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!