O mundo das notícias é complexo, e histórias e imagens falsas costumam ser amplamente compartilhadas nas redes sociais. A equipe editorial da Blasting News identifica as informações enganosas e as fraudes mais populares toda semana para ajudá-lo a entender o que é verdade e o que é mentira. Aqui estão alguns dos boatos falsos mais compartilhados da semana.

EUA

Alegação: Votos para Trump foram abandonados em estrada na Pensilvânia

Fatos: Vários tuítes afirmam que cédulas enviadas por correio com votos para Trump foram abandonadas em uma estrada na Pensilvânia, como supostamente mostra uma imagem. Esse boato insinua que o envio de cédulas pelo correio não é uma forma segura de votar nas próximas eleições presidenciais dos EUA.

Verdade: Como relata a AFP Fact Check, a imagem vinculada às postagens é de 2018, quando Trump ainda não era candidato à reeleição.

A foto foi tirada em Nova Jersey, onde o conteúdo postal foi abandonado por um funcionário dos Correios que pediu demissão. Posteriormente, segundo uma porta-voz do Escritório do Inspetor Geral dos Correios dos Estados Unidos, todas as encomendas foram entregues aos destinatários.

EUA

Alegação: Gripe chega a matar 100.000 por ano nos EUA

Fatos: No último dia 6 de outubro, o presidente dos EUA, Donald Trump, tuitou: “A temporada de gripe está chegando!

Muitas pessoas todo ano, às vezes mais de 100.000, e apesar da vacina, morrem de gripe. Vamos fechar o nosso país? Não, aprendemos a conviver com isso, assim como estamos aprendendo a conviver com a Covid, que na maioria da população é muito menos letal”.

Verdade: Como relata a agência Associated Press, o número anual de mortos nos EUA devido à gripe sazonal está entre 12.000 e 61.000 desde 2010, não 100.000.

Além disso, funcionários da saúde como Anthony Fauci, do National Institutes of Health, disseram ao Congresso americano que o coronavírus pode ser até 10 vezes mais letal do que a gripe sazonal. O coronavírus já matou 217.056 pessoas nos EUA desde o início da pandemia, segundo o Worldometer COVID-19 Data.

TAILÂNDIA/EUA

Alegação: Nova moeda foi lançada pelo Departamento do Tesouro dos EUA em setembro

Fatos: Publicações no Facebook e no aplicativo de mensagens Line compartilharam um vídeo acompanhado da alegação de que uma nova moeda chamada “USN” foi lançada pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos no último mês de setembro. De acordo com algumas das postagens, “a nota de dólar americano do US Federal Reserve não poderá ser usada a partir de outubro de 2021”.

Verdade: Segundo informações da AFP Fact Check, a afirmação é falsa. Em e-mail enviado à agência no último dia 6 de outubro, a assessoria do Departamento do Tesouro dos EUA disse: “Esta afirmação é falsa. O dólar dos Estados Unidos é a moeda oficial dos Estados Unidos e seus territórios. O Departamento do Tesouro dos EUA não lançou uma nova moeda”. O vídeo compartilhado nas postagens foi publicado no YouTube em 24 de maio de 2018 pelo designer Andrey Avgust, de Belarus, e mostra, segundo o próprio artista disse à AFP, apenas uma “visão pessoal de como o dólar pode ser no futuro”.

ÍNDIA

Alegação: Fotos mostram sistema russo de defesa antiaérea destruído em ataque na Armênia

Fatos: Duas fotos compartilhadas no Facebook e no Twitter alegam mostrar um sistema de defesa antiaérea de fabricação russa que foi destruído na Armênia durante um ataque no último mês de outubro.

“Imagem mostra sistemas de defesa antiaérea S-300 de fabricação russa DESTRUÍDOS da Armênia. Drones Harop de fabricação turca se mostaram muito eficazes contra os sistemas de defesa antiaérea russos”, diz a legenda dos posts.

Verdade: Uma busca reversa das imagens realizada pela AFP Fact Check mostra que as imagens foram publicadas em um site grego em 5 de dezembro de 2016. De acordo com a reportagem, as fotos mostram um sistema de defesa atiaérea S-300 de fabricação russa que foi danificado em um acidente.

HONG KONG

Alegação: Outdoor da Polícia de Hong Kong usa slogan criado por Mao Tsé-Tung

Fatos: Foto compartilhada centenas de vezes no Twitter alega mostrar um outdoor da polícia de Hong Kong acompanhado da frase “Servindo ao Povo”, slogan político cunhado em 1944 pelo líder comunista Mao Tsé-Tung, fundador da República Popular da China.

Algumas das publicações trazem ainda a seguinte mensagem: “Esses cinco caracteres nojentos começaram a aparecer em Hong Kong!”.

Verdade: Em declarações à AFP Fact Check, a assessoria da polícia de Hong Kong afirma que as imagens foram manipuladas digitalmente. A imagem original trazia a seguinte mensagem no outdoor: “Se você quiser defender o estado de direito”. A falsa alegação ocorre em meio a uma crescente tensão entre o governo de Pequim e movimentos pró-democracia em Hong Kong.

NIGÉRIA

Alegação: Bill Gates disse que Biafra, na Nigéria, pode se tornar 2ª maior economia do mundo

Fatos: Um site pró-independência da região de Biafra, na Nigéria, chamado Konnect Press escreveu um artigo dizendo que o fundador da Microsoft Bill Gates afirmou que “a nação de Biafra tem potencial para se tornar a segunda maior economia do mundo”.

O artigo acrescentou que “a nação de Biafra libertará a África da pobreza, da vergonha e da escravidão”. O site também diz que se os igbos –grupo dominante etnicamente na região de Biafra– se tornarem independentes, dentro de cinco anos eles “irão superar a China em termos de tecnologia”.

Verdade: Em nota enviada à AFP Fact Check, a assessoria da Fundação Bill e Melinda Gates nega esta alegação: “Podemos confirmar que essas declarações não foram feitas por Bill Gates”.

ALEMANHA

Alegação: Três crianças morreram na Alemanha por usarem máscaras de proteção

Fatos: Um médico alemão chamado Bono Schiffmann, conhecido por ser contrário às medidas de prevenção à Covid-19, afirmou em vídeo: “Tenho agora a certeza de que morreu uma terceiro criança”.

“Crianças estão morrendo! Porque usam máscaras contra uma doença que não existe”, afirma Schiffmann.

Verdade: Como relata a Reuters, não há evidências de que três crianças morreram na Alemanha devido ao uso de máscaras de proteção. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, crianças menores de 5 anos não devem ser obrigadas a usar máscaras, mas isso não significa que seja perigoso e que possa matá-las.

FRANÇA

Alegação: Inventor do teste de PCR disse que seu método era ineficaz na detecção de vírus

Fatos: Uma alegação escrita em inglês foi compartilhada nas redes sociais francesas afirmando que o bioquímico americano Kary Mullis, inventor do teste PCR, declarou que tal teste não detecta o vírus SARS-CoV-2.

A legenda compartilhada com a imagem diz: “Triagem em massa (...) é uma fraude organizada para acertar estatísticas”.

Verdade: Mullis morreu em agosto de 2019, antes do surgimento do vírus responsável pela Covid-19, portanto, nada prova que ele renegou seu teste, muito menos para o diagnóstico do coronavírus. A citação compartilhada neste post foi retirada de um artigo escrito em 1996 pelo ativista gay John Lauritsen. As palavras foram tiradas do contexto, uma vez que o texto questiona a eficácia dos testes de PCR no diagnóstico da aids, e não do coronavírus, numa época em que o genoma do HIV ainda não havia sido decodificado, relata o jornal francês Le Monde.

BRASIL

Alegação: Exército brasileiro apreende madeira ilegal da Amazônia que seria vendida para a Europa

Fatos: Uma foto de caminhões carregados de toras de madeira foi compartilhada no Facebook junto da afirmação de que aquela se tratava de uma operação de apreensão realizada pelo Exército brasileiro na região amazônica.

A legenda que acompanha as postagens diz: “madeira da Amazônia que tinha como destino a Europa apreendida pelo exército. Entenderam a gritaria”.

Verdade: Em uma busca reversa na internet, a agência Aos Fatos encontrou o mesmo registro publicado na página Máfia da Tora, que aborda o setor madeireiro nacional. De acordo com a postagem, o registro foi feito em janeiro de 2016, em Cláudia, no Mato Grosso, e as toras mostradas na foto seriam utilizadas em uma festa da cidade.

AMÉRICA LATINA

Alegação: Pessoas que já tiveram Covid-19 não precisam seguir nenhuma medida sanitária

Fatos: Publicação compartilhada no Facebook afirma que, segundo “imunologistas independentes”, pessoas que foram infectadas e se recuperaram da Covid-19 adquiriram “imunidade natural” para toda a vida e, portanto, não precisam seguir nenhuma medida de sanidade específica, como o distanciamento social.

"Pessoas infectadas pela SARS CoV-2 ou COVID-19 que desenvolveram anticorpos IgG não precisam mais de quarentena, distanciamento social ou o uso de máscaras", diz a legenda da publicação.

Verdade: Segundo o serviço de checagem de fatos do jornal peruano La República, a alegação é falsa. Primeiramente, as publicações erram ao falar em “adquirir” imunidade natural, visto que este tipo de imunidade acompanha os seres humanos desde o nascimento. O texto provavelmente quis fazer referência à chamada imunidade adaptativa, com a qual o corpo desenvolve uma resposta específica para um determinado patógeno. No entanto, pesquisa realizada pelo King’s College de Londres com 90 pacientes que se recuperaram do novo coronavírus aponta que mais de 80% deles perderam a quantidade de anticorpos após três meses da infecção.

Ao La República, a pesquisadora Camille Webb, da Universidade Peruana Cayetano Heredia, menciona que, como ainda há muitas dúvidas sobre os efeitos do novo coronavírus, não se deve presumir que uma pessoa esteja imune e que não possa ser infectada novamente.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!