Em pleno século 21 e mesmo o mundo tendo acesso a todo tipo de informação instantaneamente, o assunto envolvendo as relações homossexuais continua gerando muitas polêmicas. Por isso mesmo, uma declaração do líder máximo da Igreja Católica, o papa Francisco, pegou a todos de surpresa nesta quarta-feira (21).

Papa Francisco sobre a união homossexual

Nesta quarta-feira (21) entrou em cartaz na Itália um documentário que trouxe comentários do papa Francisco sobre diversos temas que são importantes para o pontífice. Na metade do filme, o papa falou sobre as relações homossexuais e defendeu a união civil entre esses casais, como forma de proteger essas relações.

Essa é a primeira vez que o líder religioso fala claramente e defende os direitos dos LGBTIs. Ele fala no documentário que as pessoas homossexuais têm direito de viver em uma família. Francisco falou: "Elas são filhas de Deus e têm direito a uma família. Ninguém deverá ser descartado ou ser infeliz por isso".

O Papa falou que é preciso que seja criada uma lei de união civil para os homossexuais, para que dessa maneira eles sejam contemplados pela lei. O pontífice revelou que defende essa ideia da legalização da união entre casais homossexuais, gerando aplausos de católicos que possuem essa orientação sexual,e com isso trouxe também uma cobrança de esclarecimentos de conservadores, dado o histórico do Vaticano em relação ao assunto.

Documentário do Papa Francisco

No documentário que foi lançado, o papa discorre também sobre outros assuntos pelos quais se interessa, entre eles, sobre o ambiente, a pobreza, migração. Ele falou também sobre a desigualdade racial e de renda na população mundial, além de discorrer sobre as pessoas que são mais afetadas pelas discriminações.

Em relação aos LGBTIs, o papa já havia demonstrado interesse em dialogar com os mesmos, mas até então, as mensagens diziam respeito aos acolhimentos desses fiéis na igreja.

O filme sobre o papa foi exibido inicialmente no Festival de Roma e, no domingo (25), passará no Savannah Film Festival, nos Estados Unidos.

A gravação do filme, dirigido por Evgeny Afineevsky, foi encerrada no último mês de junho. Por isso mesmo, traz também o assunto pandemia, além de falar de racismo, abusos sexuais e a guerra na Síria e Ucrânia.

O jornal La Nación, da Argentina, revelou que o filme mostra um gay italiano que mora em Roma e seria pai de três crianças. A gravação relata que o homem escreveu uma carta ao papa revelando o seu receio dos filhos serem discriminadas se fossem enviadas à paróquia.

Francisco teria o incentivado a mandar as crianças à igreja e, segundo o homem, o líder religioso nunca tinha falado qual era a sua opinião sobre as famílias formadas por pais gays. Para ele, apesar de a doutrina não ter mudado, a forma de lidar com o tema mudou de forma radical.

Importância da fala do papa Francisco

O comentário do papa Francisco vem em um momento em que infelizmente os homossexuais ainda sofrem muita discriminação. Vira e mexe surgem notícias na internet de pessoas que são atacadas, humilhadas e até mesmo agredidas fisicamente por causa de sua opção sexual.

Lamentavelmente, algumas pessoas chegam a perder a vida por ser homossexual, por isso mesmo a notícia do documentário em que o papa defende a união civil do grupo foi tão comemorada por grande parte da população.

Essas pessoas veem a declaração do líder religioso como uma esperança de dias melhores, em que serão mais respeitados e assim possam viver as suas vidas, indo e vindo, sem o medo de discriminação ou mesmo violências físicas.

Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página Religião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!