O juiz federal Sérgio Moro determinou nesta sexta-feira (11), através de um despacho assinado, a intimação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em relação a uma operação de busca em um cofre no Banco do Brasil. O juiz autorizou essa busca, a pedido do Ministério Público, após um documento apreendido na casa do ex-presidente se referir à 23 "caixas lacradas" que estariam guardadas no cofre de uma agência no Banco do Brasil, localizada no Centro de São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Segundo a Polícia Federal, foram encontrados 132 objetos, como jóias, moedas e obras de arte. Esses objetos foram analisados na quinta-feira (1) pela Polícia Federal. A maioria desses presentes foram recebidos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante o mandato no Palácio do Planalto e adquiridos com as viagens dele (Lula) no exterior. Os bens estão guardados sem custo algum.

Recolhimento do material

A mulher de Lula, Marisa Letícia e o filho do casal Fábio Luiz Lula da Silva seriam os responsáveis pela guarda do material de acordo com os autos.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Corrupção

O juiz federal paranaense pede para que sejam coletadas informações a respeito de quem pagou pelo armazenamento e como tudo aconteceu. Respeitando a solicitação do Ministério Público Federal, Moro deu cinco dias para que o ex-presidente Lula atenda ao pedido do Ministério. Porém, o juiz não revela o teor dessa solicitação: "Não cabe, nessa fase, qualquer conclusão deste juízo acerca do resultado da busca", relatou o juiz.

OAS investigada

A OAS, empreiteira investigada na Operação Lava Jato, estaria envolvida no processo de custear o armazenamento dos bens de Luiz Inácio Lula da Silva.

Publicidade

Conforme as investigações, foi pago pela OAS a quantia de R$ 1,3 milhão para guardar na empresa Granero, parte do acervo de Lula. Isso foi entre janeiro de 2011 e janeiro de 2016. O juiz federal Sérgio Moro também destaca, no despacho de busca e apreensão desta sexta-feira (11), que parte da mudança do ex-presidente Lula, de Brasília a São Paulo, estava depositada com terceiros.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo