Anúncio
Anúncio

Em meio a tantas notícias de Corrupção e desleixo com a coisa pública, por parte de diversos políticos brasileiros que enfrentam problemas na justiça, ontem, (7), foi a vez de um filho da família Bolsonaro, irmão do tão conhecido e aclamado na internet, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Renato Bolsonaro foi exonerado do cargo de Assessor Especial que ‘ocupava’ na assessoria parlamentar do deputado estadual André do Prado (PR-SP); motivo: não comparecimento ao trabalho, recebia sem trabalhar.

Renato Bolsonaro, que já foi candidato a prefeito da cidade de Miracatu, no interior do estado de São Paulo, foi contratado pelo deputado André para assessorar os seus serviços à comunidade, na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Anúncio

O seu salário chegava aos surpreendentes R$ 17 mil, (dezessete mil reais) por mês, pagos pelo governo estadual de São Paulo.

Em entrevista à reportagem do SBT, Renato diz que possui algumas lojas na região: “Eu trabalho com quatro lojas”, disse quando perguntado pelo repórter da emissora se teria mais lojas. Ontem, (7), o ‘funcionário fantasma’ foi descoberto e imediatamente exonerado do cargo que ocupava. Jair Bolsonaro foi procurado para falar sobre esse caso, e, ao saber da notícia do seu irmão, o deputado, que tanto defende a honra e honestidade no meio político, expressou sua indignação: “Pau nele”, disse enfaticamente.

Com relação ao irmão, Jair Bolsonaro, Renato diz que deseja que ele se eleja presidente.

Anúncio
Os melhores vídeos do dia

“Ele vai se eleger”, confessou. Já Jair, quando entrevistado, afirmou: “Pau nele para deixar de ser otário. Se o meu irmão praticar um crime, fizer uma besteira, é problema dele.”, disse.

A reportagem fez as somas do dinheiro que Renato Bolsonaro recebia como assessor, e, o resultado foi surpreendente. Sem trabalhar, o integrante da família Bolsonaro custava aos cofres públicos cerca de R$ 228.219,81 por ano, com um faturamento mensal de exatos R$ 17.555,37 por mês. Já a rotina de Renato, segundo a reportagem, é chegar por volta das nove da manhã em uma de suas lojas para trabalhar, depois sai para o almoço, e em torno das duas horas o empresário volta para trabalhar em sua loja novamente.

Isso acontece diariamente, de acordo com a reportagem.

Anúncio

Ao invés de estar trabalhando como um assessor, o Renato dificilmente, (para não dizer nunca), é visto em seu local de trabalho público. Ontem, no entanto, o Diário Oficial publicou a exoneração de Renato Bolsonaro.