A prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) tem dado o que falar. Isso porque, nesta quinta-feira (15), os advogados do ex-ministro entraram com o pedido de soltura alegando que o cliente estaria correndo riscos de ser “estuprado” na Penitenciária da Papuda, no Distrito Federal, local onde se encontra desde a semana passada. A defesa pede que Geddel deixe a penitenciária e cumpra a pena em prisão domiciliar, que no caso seria em seu luxuoso apartamento em Salvador, capital da Bahia.

O requerimento não teve muito sucesso e foi negado pela juíza Leila Cury, que faz parte da Vara de Execuções do Distrito Federal. A juíza tomou a decisão pautada na afirmativa que a defesa de Geddel teria feito o requerimento utilizando-se de informações “especulativas” e “inverídicas” na petição.

Os advogados utilizaram a publicação do site “A Folha Brasil”, conhecido por ser sensacionalista, que afirmava que no dia em que o ex-ministro foi preso, familiares dos detentos teriam divulgado supostos áudios vindo do Complexo Penitenciário da Papuda, onde os presos estariam ameaçando estuprar o ex-ministro. Ainda segundo a reportagem usada pelos advogados de Geddel, líderes de facções criminosas teriam mandado o recado para todos os presos por corrupção que seriam obrigados a prestar serviços sexuais aos internos.

No texto, um trecho afirma que um ex-deputado já estaria prestando serviços sexuais para um traficante e que seus familiares estariam pedindo interferência da Justiça para que possa conceder liberdade ao mesmo, que se sente humilhado e violentado.

Advogados de Geddel estão trabalhando intensamente para tirá-lo da penitenciária

Os advogados também afirmaram que, pelas redes sociais, a família do ex-ministro estaria recebendo graves ameaças e que imagens da audiência de custódia teriam sido reproduzidas na imprensa, fato que, segundo os advogados, coloca Geddel e seus familiares em situação anda mais perigosa.

A defesa foi dura ao afirmar que caso a Justiça não conceda o requerimento pedido, qualquer ato sofrido por Geddel dentro da penitenciária será de responsabilidade direta de todos os que se omitiram.

Os advogados pedem a custodia em prisão domiciliar com urgência, pois, afirmam que não existe outra possibilidade que garanta a integridade física do ex-ministro. Para o pedido de urgência, a juíza acredita que não tem competência para deliberar o pedido, uma vez que a decisão trata-se única e exclusiva da Justiça Federal. A juíza ainda ressaltou que o pedido da defesa é completamente baseado em uma notícia que tem como base caráter especulativo.

Leila Cury afirma que, pelo fato dos familiares de Geddel ainda não terem contato com ele na prisão, não existe fundamentos para se comprovar as eventuais ameaças sofridas e divulgadas. Geddel foi preso na sexta-feira passada (8), após a descoberta de R$ 51 milhões em notas de R$ 100 e R$ 50 em um apartamento na capital baiana. O dinheiro foi atribuído a ele.

O ex-ministro encontra-se custodiado em uma ala da Papuda, que, segundo divulgado, é totalmente voltada para presos vulneráveis [VIDEO].