O ex-ministro do governo de Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO](PT) está decidido a entregar tudo o que sabe para o juiz Sérgio Moro. Durante negociação de delação premiada, Antonio Palocci confessou ter entregado dinheiro vivo para o ex-presidente Lula em pelo menos cinco ocasiões. Ele revelou ter entregado pessoalmente diversos pacotes com valores de R$ 30 mil a R$ 50 mil, segundo informações da revista Veja e confirmadas pelo jornal Folha de S. Paulo.

Segundo a publicação, as revelações aconteceram no momento em que Palocci negociou um acordo de delação premiada com o Ministério Público. Caso o acordo seja realmente firmado, pretende revelar em detalhes cada entrega em dinheiro vivo feita a Lula.

Os valores entregues tinham como finalidade custear as despesas pessoais do ex-presidente, segundo relatou Palocci.

Valores mais altos eram entregues nas dependências do Instituto Lula, através do ex-assessor de Antonio Palocci, Branislav Krontic, segundo relato feito em depoimento ao juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, na última semana. De acordo com o ex-ministro, as propinas faziam parte de uma conta corrente que o Partido dos Trabalhadores tinha com a empreiteira Odebrecht, conforme consta na planilha batizada de "Programa Especial Italiano", que fazia parte do setor de Operações Estruturadas da empresa. O termo "Italiano" era usado para identificar Palocci.

Lula nega recebimento de propina

O ex-presidente Lula disse que não recebeu nenhum valor ilícito durante ou após seu mandato. Seu advogado, Cristiano Zanin Martins, divulgou uma nota onde afirma que Palocci está mentindo para conseguir benefícios judiciais, que envolvem sua liberdade e provavelmente o desbloqueio de seu patrimônio.

O advogado ainda afirma que Lula, assim como membros de sua família, teve suas contas devassadas e em nenhum momento foi encontrado qualquer valor com origem ilícita. O ex-presidente chegou a acusar o ex-companheiro de partido, Palocci, de calculista, frio e simulador [VIDEO] em seu depoimento ao juiz Sérgio Moro na quarta-feira (13).

Ainda na linha da defensiva do ex-presidente, alguns dirigentes do PT, como a senadora Gleisi Hoffmann (PR), que é presidente nacional do partido, desafiaram o ex-ministro a apresentar provas contra Lula. Ela também afirma que "Palocci está mentindo".

"Qual a prova dele? Todo mundo está falando e é isso que quer o juiz de Curitiba. Palocci tem que apresentar provas", desafiou Gleisi Hoffmann.