O presidente do Chile, Sebastián Piñera, que recentemente esteve no Brasil e fez uma pergunta que deixou os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) sem reação, defendeu que a melhor opção para o "gigante" que é o Brasil é o candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

Num evento em Madri, na Espanha, Piñera elogiou o plano econômico de Bolsonaro uma vez que, segundo ele, pode reduzir o déficit fiscal. Ele também ressaltou a importância das privatizações que podem ajudar a melhorar os setores públicos, diante do tamanho que é o Brasil.

Em relação a Fernando Haddad, candidato do PT, Piñera mostrou uma certa desconfiança. De acordo com ele, ninguém conhece Haddad e nem sabe como ele pensa. O presidente chileno também percebeu que os votos em Bolsonaro foram também um voto de castigo contra vários políticos brasileiros que estão envolvidos em corrupção.

Piñera comentou que ficou sabendo que o candidato do PSL foi acusado de atos homofóbicos e linguagem forte contra as mulheres, entretanto, vê em seu plano econômico a direção correta para enfrentar a corrupção e o populismo. Na visão dele, esses são os grandes problemas do Brasil.

Críticas à Corte brasileira

O presidente do Chile esteve em uma visita ao Brasil em abril deste ano e fez uma pergunta que causou um pequeno mal-estar entre os ministros.

Recebido pela então presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, Sebastián Piñera quis saber a quem se poderia recorrer quando a Corte falha em suas decisões. O Brasil já estava em momentos de crise e o questionamento dele acabou silenciando o tribunal.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

Após um breve desconforto e sem receber uma resposta, ele próprio respondeu: "À instância Suprema", e apontou as mãos para cima em referência a Deus.

O ministro Edson Fachin ainda tentou mostrar um lado "amigável" do tribunal e disse que a sociedade pode ser a responsável pelas decisões da Corte, ou seja, os ministros também ouvem o povo. Piñera rebateu com uma nova pergunta: "Pode a sociedade revogar decisões da Corte?". Ninguém respondeu para ele. A pergunta ficou no ar.

Bolsonaro versus Haddad

O segundo turno já começou com embates entre os dois candidatos e a luta por alianças. Um dos principais objetivos de Haddad é conseguir o apoio do terceiro colocado na eleição, Ciro Gomes, do PDT. Ciro avisou que tem tudo para apoiar Haddad, pois se recusa a ficar do lado de Bolsonaro. Entretanto, o pedetista falou que será um "apoio crítico" já que ele vê um pouco de deslealdade no PT, que não o apoiou em sua campanha.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo