O presidente eleito Jair Messias Bolsonaro (PSL) está em 'maus lençóis'. Durante a semana, foi divulgado em diversos veículos de comunicação que um ex-assessor de seu filho, Flávio Bolsonaro, mantinha movimentações financeiras 'obscuras'. Tal situação ganhou muita repercussão, principalmente porque foi revelado que uma das destinatárias da movimentação é a esposa do presidente eleito, Jair Bolsonaro [VIDEO].

Publicidade
Publicidade

A história começou a se desenrolar quando o ex-motorista de Flávio Bolsonaro (PSL), eleito senador pelo Rio de Janeiro, fez movimentações suspeitas.

O Coaf (Conselho de Controle de Atividades financeiras) monitorou as movimentações da conta bancária deste ex-assessor e também do policial militar Fabrício José de Carlos Queiroz. O valor movimentado, dentro de um curto período, foi de aproximadamente 1,2 milhão de reais com muitos saques em 'dinheiro vivo', o que gerou suspeita por parte do órgão.

Publicidade

Ligação da Família Bolsonaro com o esquema

Além do fato do investigado ter sido assessor de Flavio, a investigação comprovou que R$ 24 mil reais foram destinado à esposa do presidente eleito, Michelle Bolsonaro, o que levantou a suspeita que parte do dinheiro vivo também pode ter ido para os Bolsonaro.

Justificativa de Bolsonaro

Para justificar o valor recebido, uma vez que ficou provado que pelo menos R$ 24 mil reais foram para sua esposa, Jair Bolsonaro disse que, na verdade, o dinheiro recebido por Michelle era dele e que fazia parte de um recebimento de um suposto empréstimo que ele teria feito para o ex-assessor de seu filho.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro

Bolsonaro pode ter se complicado

No entanto, Jair Bolsonaro pode ter se complicado ainda mais. Internautas, muitos de oposição perguntaram o porquê de a esposa de Bolsonaro ser a beneficiária do pagamento se foi ele próprio a emprestar o dinheiro, o que levantaria a hipótese de a esposa ter sido utilizada como espécie de 'laranja'. Porém, Bolsonaro se defendeu afirmando que não faz sentido ser acusado de estar envolvido em 'esquema', uma vez que o cheque destinado a sua mulher era nominal, o que afastaria qualquer possibilidade de má fé.

Crime de sonegação fiscal

Outra grande questão que pesa contra Bolsonaro é que ele respondeu às acusações, assumindo que não declarou o referido dinheiro "suposto empréstimo" à Receita Federal, e está disposto a pagar pelo erro. Ocorre que, na realidade, Bolsonaro assumiu que omitiu informação da Receita Federal, o que configura crime de sonegação fiscal.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo