Jair Messias Bolsonaro tomou posse na tarde desta terça-feira (01) como presidente da República Federativa do Brasil. Eleito 38º presidente do país, o ex-deputado federal pelo Rio de Janeiro foi recebido com festa em sua cerimônia oficial de posse, que aconteceu em Brasília, Distrito Federal.

Com diversas promessas de governo, a primeira tarefa destinada ao novo líder de Estado é uma das mais significativas para o país, para a economia e para os brasileiros. A primeira obrigação de Bolsonaro consiste em assinar o valor do novo salário mínimo que entrará em vigor no primeiro ano de seu governo, 2019.

Publicidade
Publicidade

Michel Temer deixa decisão do novo salário mínimo para Bolsonaro

A tarefa de definir o valor do salário mínimo para o exercício 2019 foi passada de Michel Temer para Jair Bolsonaro. O ex-presidente da República, filiado ao MDB, passou a faixa de líder para o militar reformado e com ela também a responsabilidade de assinar o novo valor correspondente ao salário base do brasileiro.

O salário mínimo até o dia 31 de dezembro de 2018 foi R$ 954, e com a virada do ano um novo valor é aguardado para entrar em vigor a partir do primeiro dia de 2019.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro

Mínimo ganhará aumento de 4,6% em 2019

Após tomar posse como o mais novo presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro assinará o decreto estipulando o novo valor do salário base brasileiro.

O valor é o que consta na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), esta aprovada no mês julho pelo Congresso Federal. Aumentando 4,6%, o novo salário mínimo que entrará em vigor a partir de 01 de janeiro de 2019 será de R$ 998.

Salário mínimo é referência para outros serviços no Brasil

Além de ser estipulado como o menor salário pago na CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social) dos trabalhadores, o salário intitulado "mínimo" é também usado como valor referência para benefícios assistenciais e previdenciários de aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Publicidade

Como regra, até o exercício de 2019 o reajuste do salário mínimo levará em conta a inflação do ano anterior, bem como o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos anteriores.

A regra estipulada por governos anteriores e que vence em seu primeiro ano de mandato, deverá ser decidida por Jair Bolsonaro, até o próximo dia 15 de abril. Sendo, assim cabe ao novo presidente e seu conselho decidir se a regra atual do reajuste será mantida para os próximos anos ou se uma novo levantamento salarial será definido.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo