Na manhã desta sexta-feira (15), o ex-deputado federal pelo PSOL Jean Wyllys e embaixadora brasileira Maria Nazareth Farani Azevedo protagonizaram um bate-boca durante um debate na sede europeia da ONU (Organização das Nações Unidas), em Genebra, na Suíça.

De acordo com o jornalista Jamil Chade, do UOL, que postou um vídeo da reunião em seu Twitter, a embaixadora brasileira não estava presente no começo do discurso realizado por Jean Wyllys, que foi convidado para falar sobre populismo.

Embaixadora se recusa a ouvir ex-deputado

Após à chega de Maria Nazareth ao local, ela começou à intervir em algumas falas dos que ali estavam presentes debatendo e em seguida falou a seguinte frase: “Bolsonaro não abandonou o Brasil, mesmo depois de ter levado uma tentativa real de tirar sua vida.

Publicidade

Não é um criminoso e seu Governo não é uma organização criminosa”. Jean Wyllys imediatamente rebateu a embaixadora afirmando que ela já teria vindo com discurso pronto para a sala devido ao medo de se debater com ele.

"Minha presença amedronta a senhora e seu governo, que não tem compromisso com a democracia, sobretudo em um momento em que a imprensa revela ligações entre organizações criminosas, os assassinos de Marielle Franco e a família do presidente da República”, disse o ex-deputado.

Segundo Wyllys, a investigação da polícia deve conseguir chegar em um ponto chave para saber quem realmente mandou matar Marielle Franco.

Logo em seguida, a embaixadora brasileira se levantou da cadeira onde estava e se recusou a ouvir as falas de Jean Wyllys e tentou intervir no discurso do ex-deputado. No mesmo momento, Wyllys rebateu ao pedir para que ela respeitasse a democracia e falasse sobre a homofobia do atual presidente Jair Messias Bolsonaro. Para finalizar o debate, ele comentou a respeito da tortura, que em sua opinião, é um crime que lesa a sociedade.

Logo após o ex-deputado terminar a sessão do seu debate, a embaixadora brasileira foi vista saindo da sala junto com seu assessor, recusando-se a ouvi-lo.

Publicidade

Em seguida, ao finalizar a sessão, Jean Wyllys foi aplaudido pela maioria dos que ali estavam presentes.