Em uma live do Facebook, o presidente da república, Jair Bolsonaro, disse que seu Governo pegou ‘centenas de fantasmas’. Segundo Bolsonaro, trata-se de pessoas que ocupavam cargos de confiança, mas que, no entanto, não sabiam nem onde estavam. Ainda segundo o vídeo, o presidente afirmou que é tanta gente que chega a ser impossível mover um processo contra eles.

Durante suas transmissões semanais, Bolsonaro tem levado recentemente vários ministros para falar de suas ações. Esta semana, o presidente levou o ministro Wagner Rosário, da CGU, para tratar de um novo decreto que modificará as normas de contratação de cargos políticos considerados de confiança.

Continuando com a live, Bolsonaro disse ser um negócio absurdo o fato de esses cargos serem preenchidos em Brasília. “É complicado o negócio”, relatou o presidente da república. Ainda em transmissão, Jair Bolsonaro aproveitou para lembrar a medida que conseguiu extinguir mais de 20 mil cargos comissionados.

Dívida interna do país

Nessa mesma transmissão, Bolsonaro aproveitou para falar sobre outro assunto que tem causado preocupação, a dívida interna do país. Nesse momento, Bolsonaro citou os funcionários públicos, e disse que há um inchaço de servidores, não só no governo federal, mas também em estados e municípios.

Segundo o presidente, é ai que entra, então, a Reforma da Previdência.

Regras do Decreto

O ministro Rosário disse ser importante realizar a afirmação de que Bolsonaro modificou o decreto em seguida, desta forma, apenas serão obrigados a cumprí-lo pessoas nomeadas após a entrada do presidente, que ocorreu no dia 1° de janeiro.

Vale lembrar que no último dia 19, o presidente da câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou proposta inicial do presidente, que falava no cumprimento do decreto apenas para nomeados do dia 15 de maio em diante.

Maia disse que dessa forma fica parecendo que pessoas já nomeadas não precisam de qualificação.

Os cargos que seguiram as novas regras somam hoje 24 mil. No entanto, mais de 20 mil já foram preenchidos, restando assim, pouco mais de 3,5 mil disponíveis. Com o novo decreto, as pessoas indicadas para cargos de segurança terão que ter uma boa reputação, além de um perfil profissional ou acadêmico compatível para o cargo designado.

O candidato também terá que estar dentro dos critérios da Lei da Ficha Limpa.

Outra regra que entrará junto ao novo decreto, exigirá do candidato possuir uma experiência profissional de ao menos dois anos na mesma área do cargo que estiver concorrendo, ou possuir um titulo de mestre, doutor ou especialista.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!