Na última segunda-feira (01), o presidente em exercício Hamilton Mourão disse ao jornal O Globo que Jair Bolsonaro (PSL) sabia sobre a divulgação de um vídeo considerado pró-golpe. O vídeo em questão havia sido divulgado por um número de WhatsApp que pertence à Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto. Entretanto, nesta última terça-feira (02), Mourão voltou atrás e afirmou à imprensa que o presidente não tinha ciência da divulgação do vídeo.

Publicidade
Publicidade

Ele acreditava que, em tese, Bolsonaro teria conhecimento do vídeo, que fala sobre o golpe de 1964 como se fosse um momento histórico em que o Brasil tivesse sido salvo pelo Exército brasileiro.

Entenda o caso

Tudo aconteceu quando Hamilton estava saindo do gabinete da Vice-Presidência no final da manhã da última segunda-feira. O jornal O Globo questionou Mourão a respeito do vídeo que foi divulgado no Whatsapp que falava a respeito do golpe que completou 55 anos.

Em resposta, Mourão se limitou a dizer que a decisão a respeito da divulgação do material foi do presidente Bolsonaro.

Nesse momento, a reportagem decidiu repetir o questionamento e então Mourão foi ainda mais enfático ao afirmar que a decisão é exclusiva do presidente e confirmou que foi o Planalto que divulgou o vídeo. Então, Hamilton foi informado que a Secretaria de Comunicação ainda não havia revelado de onde o vídeo saiu. Mourão devolveu a pergunta para a reportagem se limitando a dizer: "também não sabe?".

Publicidade

Assessoria da presidência se nega a comentar o assunto

A reportagem tentou conseguir alguns esclarecimentos, porém, ao procurar a assessoria da Presidência, receberam a informação de que o assunto não será comentado. A única confirmação que eles tiveram é que o vídeo foi enviado em uma lista de transmissão pertencente à Secom.

Osmar Stábile emite comunicado e assume autoria do filme

Na última terça-feira (02), Osmar Stábile, que é um empresário paulista, informou através de um comunicado que ele é o responsável pela autoria e produção do filme.

Segundo a nota, o próprio Osmar pagou pela produção do filme e tudo foi feita de forma espontânea.

Piraci Oliveira, advogado de Stábile, revelou que para a produção do filme não foi utilizado dinheiro público. Entretanto, o advogado não revelou qual foi o valor gasto na produção deste filme. Piraci ainda afirma que não faz ideia de como o vídeo foi parar diretamente na Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

Leia tudo