Mais uma notícia envolvendo a justiça atinge a família Bolsonaro. Dessa vez o alvo foi João Batista Firmo Ferreira, tio de Michelle Bolsonaro. João foi preso na última quarta-feira, 29, acusado de integrar um grupo de milicianos em Ceilândia, no Distrito Federal.

A notícia foi divulgada em primeira mão pelo jornal Correio Braziliense, e em seguida atingiu grandes meios de comunicação, como a revista Época. O tio da primeira-dama é ainda alvo de investigações de homicídio, extorsão e loteamento irregular do solo. João é um militar reformado e estaria integrando uma milícia que a polícia tenta desmontar no Distrito Federal.

A Operação que capturou o irmão da mãe de Michelle Bolsonaro foi montada por departamentos da Polícia Civil do Distrito Federal e prendeu ao todo sete policiais acusados de formarem a milícia.

Todos os presos são sargentos que aturaram ou ainda atuavam no 8º ou 10º Batalhão da Polícia Militar, trabalhando na região de Sol Nascente, mesmo local onde a milícia desarticulada atuava. As investigações correm na Polícia Civil desde 2011, mas só agora conseguiram prender os sete sargentos, pois um ex-integrante se beneficiou da delação premiada para entregar os demais envolvidos com a milícia.

Palácio do Planalto não comenta prisão

O Palácio do Planalto foi procurado para comentar a prisão do tio da primeira-dama, mas uma nota foi emitida afirmando que o Governo não comentará o caso.

O inquérito de João Batista não pode ser consultado, pois corre em segredo de Justiça.

Outras polêmicas no governo Bolsonaro

O governo de Jair Bolsonaro está no poder há seis meses e já contabiliza algumas polêmicas ligadas a pessoas envolvidas direta ou indiretamente com o Governo. Além da queda de vários ministros e secretários, bem como da dificuldade de diálogo com o Congresso, mesmo através de líderes do governo, a imagem de Bolsonaro acabou sendo afetada por investigações criminais contra o seu filho, o senador Flavio Bolsonaro, e seu ex-assessor, Fabrício Queiroz.

Além disso, as investigações apontaram que até mesmo a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, teria recebido dinheiro de um esquema de lavagem. Segundo o presidente da República, as investigações contra seu filho teriam apenas o intuito de atingi-lo. As investigações continuam, mesmo com as partes envolvidas recorrendo a medidas recursais para parar investigações ou torná-las sigilosas.

O atual Governo também tem recebido críticas devido declarações feitas pelos filhos de Jair, Eduardo e Carlos Bolsonaro, contra o vice presidente, Hamilton Mourão, que teria algumas posições divergentes do presidente eleito.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!