Segundo informações do colunista Jamil Chade, do UOL, o discurso da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos em sua passagem pela ONU, na Suíça, foi considerado como mentiroso por parte das ONGs. Em sua fala, Damares Alves atacou a corrupção como sendo o maior causador da violação dos direitos humanos e que a Operação Lava Jato tem trabalhado, de modo que, está propiciando “sobras” para assuntos voltados aos direitos humanos.

Segundo análise do colunista do UOL, Jamil Chade, faltou à ministra citar os variados cortes orçamentários nas diversas áreas, assim como a postura de ataque assumida pelo presidente Bolsonaro aos jornalistas.

Ainda segundo o colunista, para as ONGs, Damares mentiu ao "omitir" a realidade do país, afirmou a Conectas.

Outro que se posicionou contrário a ministra brasileira foi o Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH) que alertou que Damares Alves mentiu para toda a comunidade internacional divulgando dados incompletos na ONU.

Damares na ONU: Carnaval afronta a religiosidade e a fé cristã

Segundo o colunista do UOL, Jamil Chade, no evento destinado a debater a liberdade religiosa em Genebra, na Suíça, a ministra fez uma dura crítica ao Carnaval como um evento que afronta a fé cristã. De acordo com a ministra, será feita uma campanha de conscientização sobre o respeito e a proteção dos objetos religiosos.

A fala da ministra aconteceu durante seu pronunciamento em que mostra a posição do Brasil dentro do governo Bolsonaro diante dos demais ministros presentes na cerimônia.

De acordo com a ministra Damares, movimentos são levantados utilizando como alicerce o nome da arte, da liberdade de expressão e de imprensa para vilipendiar os objetos de culto da fé cristã, bem como a fé em si e a crença nos valores tradicionais garantidos na religiosidades ao longo da história da humanidade.

Tais atitudes serão veementemente intolerados pela ministra que garantiu agir.

Segundo informações do colunista, a posição da ministra na reunião deixou muitos surpresos e se questionando sobre quais seriam os símbolos citados por Damares. Ao ser questionada pelo UOL, a ministra afirmou que não se trata apenas das escolas de samba e seus temas, mas que a afronta a fé cristã ocorre em todo o Brasil, nos blocos.

Em tom de sensibilização a ministra afirmou que ‘machucar a fé cristã dói. Segundo Damares, o Carnaval não deve machucar ninguém, mas sim mais que todos possam se divertir tranquilamente. Damares completou fazendo uma comparação: "já imaginou uma velhinha que ama Nossa Senhora, vendo a santa ser ridiculariza. Aquilo dói".

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!