Gustavo Bebianno, de 56 anos, ex-ministro geral de Jair Bolsonaro e pré-candidato a prefeito do Rio de Janeiro, morreu na manhã deste sábado (14), vítima de infarto fulminante. A informação de sua morte foi passada pelo atual presidente estadual do PSDB, Paulo Marinho.

De acordo com Marinho, Bebianno começou a se sentir mal por volta das 4h30, comunicou seu filho e foi até o banheiro para tomar alguma medicação. Momentos depois, o ex-ministro caiu e sofreu ferimentos na cabeça. No momento em que tudo aconteceu, Gustavo Bebianno estava apenas com o filho e um caseiro em seu sítio, localizado em Teresópolis.

Depois de passar mal, o pré-candidato a prefeito do Rio foi levado para o hospital do município, mas não resistiu e morreu no local.

Bebianno foi o primeiro ministro demitido

Gustavo Bebianno foi o primeiro ministro a ser demitido pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, que atualmente segue Sem Partido. Ele deixou o Governo em fevereiro do ano passado. Tal demissão veio recorrente a uma crise no governo, que teve início após a suspeita de que o PSL, partido ao qual Jair Bolsonaro e Gustavo Bebianno faziam parte, teriam utilizado de uma candidatura “laranja” nas eleições de 2018.

Na época, de acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, quando Gustavo estava presidindo no PSL, chegou a repassar cerca de R$ 400 mil a uma candidata a deputada federal do estado de Pernambuco. Ainda segundo o jornal, tal repasse foi feito apenas quatro dias antes das eleições e, depois disso, ela recebeu apenas 274 votos.

Bebianno nega acusações

Diante destas acusações, o ex-ministro de Bolsonaro chegou a negar ter cometido qualquer tipo de irregularidade, e afirmou que não foi o responsável por escolher as candidatas que receberiam dinheiro do PSL.

Ainda segundo Bebianno, tal decisão foi feita pelos diretores locais do partido.

Depois de conceder entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, Gustavo também falou com o jornal O Globo, na qual negou ter sido o pivô da crise que atingiu o governo. Além disso, ele também alegou que, somente no dia daquela entrevista, já havia conversado com Jair Bolsonaro por três vezes. Vale lembrar, que naquela época, Bolsonaro ainda estava internado após ter realizado uma cirurgia.

Filho de Bolsonaro desmente Bebianno

Depois que o jornal O Globo divulgou a entrevista de Gustavo Bebianno, o filho do presidente da república, Carlos Bolsonaro, do PSC-RJ, se pronunciou sobre o assunto através das redes sociais onde negou que Gustavo havia falado com seu pai. Depois disso, tanto Carlos como Jair Bolsonaro, divulgaram um áudio onde, segundo eles, o atual presidente da República dizia ao então ministro que não poderia falar com ele naquele momento.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!