O presidente Jair Bolsonaro está nos Estados Unidos para se encontrar com Donald Trump. Bolsonaro chegou no país norte-americano na tarde deste sábado (7), junto com sua comitiva presidencial. A primeira-dama Michelle e o deputado Eduardo Bolsonaro acompanham o presidente brasileiro, que cumprirá uma agenda de quatro dias no país.

Os dois presidentes são aliados fortemente declarados, além de serem defensores da mesma ideologia política de conservadores de direita.

Bolsonaro janta com Donald Trump

Na noite deste sábado, Jair Bolsonaro jantou com o presidente norte-americano Donald Trump. O jantar foi no resort Mar-a-Lago, localizado na Flórida. O presidente brasileiro se tornou recordista em viagens ao continente americano em proporção. Dos 15 meses que está no comando do Brasil, esta é a quarta vez que os presidentes se encontram. O presidente brasileiro que mais fez visitas ao continente americano foi o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com 12 viagens no total.

Donald Trump elogiou o governo de Jair Bolsonaro e afirmou que a relação entre os dois está cada vez mais forte. Dentre os assuntos discutidos entre os presidentes giraram em torno do processo de paz no Oriente Médio e sobre o momento da Venezuela. Os governantes podem até assinar algum acordo na área militar.

Compromissos de Bolsonaro nos EUA

O jantar foi o primeiro compromisso de Jair Bolsonaro nos EUA. Neste domingo (08), o líder do Executivo Brasileiro irá visitar as instalações da base militar Comando Sul do Exército dos Estados Unidos.

Logo após na segunda-feira, Bolsonaro terá um encontro em Miami com a comunidade brasileira. E por fim na terça-feira irá a Jacksonville para conhecer uma fábrica da Embraer.

O local do jantar entre os presidentes não foi ao acaso, pois o Brasil é parceiro comercial da Flórida sendo que, o comércio entre os dois superou os US$ 20 bilhões. O valor é quase 30% de todo o fluxo de comércio entre EUA e Brasil.

O Itamaraty busca junto ao Departamento de Estado Americano encontrar medidas que possam facilitar os negócios entre os países e sem inclusão de tarifas.

Folha não cobre o encontro de Trump e Bolsonaro

O Planalto deixou a Folha de S.Paulo de fora do encontro entre Trump e Bolsonaro. De acordo com nota publicada pelo veículo de comunicação, o presidente brasileiro "discrimina a Folha". Entretanto, o jornal afirma que continuará "cobrindo a administração do governo com padrão jornalístico crítico e apartidário."

Os veículos autorizados foram os jornais O Globo e O Estado de S. Paulo, as emissoras Record TV, Band, SBT e TV Globo, as agências Bloomberg e Reuters, a rádio Jovem Pan e a EBC.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!