Segundo informações do jornal O Globo, há uma nova crise diplomática entre Brasil e a China um mês depois da polêmica envolvendo o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que é filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Isso se deu graças a uma postagem do ministro da Educação, Abraham Weintraub, no seu perfil no Twitter, onde usa o personagem Cebolinha da "Turma da Mônica" para fazer comentários considerados de cunho racista sobre o país asiático.

A China é o maior parceiro comercial do Brasil e foi o marco zero do novo Coronavírus. Segundo Weintraub, essa pandemia seria uma parte de um plano “infalível” para a dominação do mundo pelos chineses.

Na madrugada dessa segunda-feira (6), a Embaixada da China no Brasil fez uma nota de resposta ao comentário do ministro, na qual disseram que esse tipo de postagem tem um intuito “fortemente racista” e pode ou causará uma “influência negativa” entre os dois países. Ainda, lembraram que o Governo da China já teria pedido para pararem de acusar o povo chinês, como “alguns indivíduos do Brasil” têm feito.

Na reposta que a embaixada chinesa escreveu, o ministro está ignorando uma posição clara da defesa do povo da China em diversas gestões. Segundo nota, Weintraub fez uma declaração que difama os chineses em várias redes sociais, colocando uma imagem estigmatizada de Pequim, ao associá-la à origem do Coronavírus.

Na sequência na nota, a embaixada escreve que há uma urgência nesse momento, com essa crise da pandemia do novo coronavírus, e fazer uma união do Brasil com a China em uma colaborativa cooperação internacional para acabar com a pandemia com maior rapidez.

Na nota escrita, ainda é citado as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), que tem uma oposição a qualquer associação de algum vírus a certos países ou regiões.

O comunicado termina dizendo que alguns indivíduos do Brasil devem corrigir nesse exato momento os seus equívocos que foram cometidos a encerrarem essas acusações que não tem fundamento nenhum contra seu país.

No mesmo tom adotado pela embaixada, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, disse estar aguardando uma declaração oficial do lado do governo chinês sobre a postagem do Weintraub.

Mauricio de Souza lamenta uso dos seus personagens

Logo depois da postagem no Twitter do ministro da Educação, Abraham Weintraub, usava o quadrinho da "Turma da Mônic para difamar o povo chinês, a produção de Mauricio de Souza – que tem todos os direitos reservados da obra – escreveu um comunicado lamentando o uso do quadrinho. Segundo a produtora, não houve nenhum pedido de autorização para o uso da imagem.

No mais, segundo a nota, há uma relação de muita amizade e admiração ao povo chinês de muitos anos.

Comunicaram que sua primeira publicação na China foi o quadrinho sobre o descobrimento do Brasil. E aqui no Brasil, publicaram um “Saiba Mais!” – que aborda vários assuntos educativos – para mostrar um pouco a história “rica” do povo chinês para os leitores do Brasil. Mesmo porque, há 60 anos, a Turma da Mônica sempre prezara a amizade entre os vários povos, assim como continuará a prezar.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!