O atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, teve campanhas suspensas pela Justiça do Rio de Janeiro. No slogan a campanha ressoava “O Brasil não pode parar”, fazendo referência à normalização das atividades profissionais em meio ao surto da covid-19.

Com isso, a Justiça do RJ analisou o respectivo caso e proibiu que essas campanhas fossem divulgadas. Segundo informações do próprio Ministério da Saúde, caso as atividades fossem retomadas, possivelmente o número de mortes seria ainda maior, pois ainda não existe um controle para coibir o avanço do vírus.

Até o domingo (29), segundo relatório enviado pelo Ministério da Saúde, o Brasil registrava 136 mortes e 4.256 casos confirmados. Os números podem ser alterados a cada hora, já que existem muitas pessoas em situação críticas devido ao contágio do vírus.

Após sair esse decreto de vedação da campanha pela Justiça do Rio de Janeiro, muitos internautas comemoraram, dizendo que o país não teria estrutura para voltar a normalização, já que os números sobre as pessoas mortas vítimas do coronavírus ainda é bem alarmante. Por outro lado, muitos outros internautas questionaram a posição da Justiça. Muitos entendem que se o país ficar em quarentena por muito tempo, os cofres públicos poderão ser afetados diretamente e muitas pessoas, consequentemente, irão ser demitidas após o surto do vírus amenizar no país.

Até o fechamento dessa matéria, a discussão pelos internautas a respeito do assunto apresentado ainda é bem presente, quando acaba dividindo opiniões de muitos.

Bolsonaro e o coronavírus

Mesmo o país registrando altos números de mortalidade pelo vírus, bolsonaro ainda ''bate na tecla'' sobre a normalização das atividades de trabalho.

Segundo ele, o Brasil não possui muita verba para manter a população em casa. ''Se ninguém trabalhar, o país quebra''. Mediante esse pensamento, Bolsonaro informou, há algumas semanas, pelos meio televisivos, que o país deveria retomar as atividades.

O presidente ainda chegou a argumentar que a população brasileira é forte e que não teria problema trabalhar mediante a uma simples ''gripezinha'' ou ''resfriadinho''.

Crime a quem descumprir ordens

Dias atrás, Sérgio Moro aprovou uma lei para penalizar as pessoas que descumprirem a quarentena. De acordo com algumas informações, a lei, que já está em vigor, diz que a pessoa que tiver suspeitas de contaminação dA covid-19 deverá permanecer em quarentena. Caso alguém perante essa situação descumpra as ordens, poderá ficar até 1 ano preso.

Já as pessoas que tiverem ciência da contaminação e transmitir o vírus para outras pessoas, terá uma pena mais dura, podendo ser condenadas em até 15 anos. Até o momento, não tiveram informações se existem pessoas presas por esse tipo de descumprimento.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!