De acordo com informações veiculadas pela coluna Painel, da Folha de S.Paulo, uma série de empresários do Paraná distribuiu recentemente folders pelo estado, bem como usou outdoors para demonstrar o seu apoio ao ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro. Além disso, os empresários em questão também se mostraram favoráveis ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao combate às fake news.

É possível mencionar que, de acordo com as informações da Folha, o presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fábio Aguayo, chegou a comentar a respeito da decisão de realizar essa distribuição.

Segundo Aguayo, o objetivo é deixar claro o apoio que a classe empresarial está oferecendo ao combate às mensagens odiosas deixadas em redes sociais, inclusive para estabelecimentos comerciais.

Bolsonaro classifica investigação como censura

Ainda na última quinta-feira (28), o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou que a ação da Polícia Federal (PF), cujo início data da última quarta-feira (27), tem como objetivo central a censura das redes sociais. Além disso, o presidente ainda falou sobre como a PF, que recebeu autorização do STF para agir, deseja atingir os seus apoiadores com essa medida.

De acordo com Bolsonaro, as pessoas que são favoráveis ao seu Governo estão sofrendo perseguições gratuitas.

O presidente ainda destacou que o desejo é “tirar mídia” de tudo o que ele possui em seu favor taxando isso como fake news. Segundo o presidente, ele não vai enfrentar outro dia como a última quarta-feira, visto que está em seu limite.

As afirmações em questão foram feitas durante um pronunciamento de Jair Bolsonaro em frente ao Palácio da Alvorada e ele fazia referência ao cumprimento dos mandados de busca e apreensão autorizados por Alexandre de Moraes, que atua como relator no inquérito relativo às fake news no Supremo.

Tal inquérito tem como objetivo apurar se esquemas de financiamento por parte de empresários e divulgação massiva nas redes sociais contra autoridades da República realmente ocorreram.

Ainda durante o seu pronunciamento, Jair Bolsonaro também chegou a falar sobre como a equipe do seu governo trabalhou durante o dia.

O presidente ainda destacou que por volta da meia-noite chegou a entrar com um habeas corpus contra a operação citada. De acordo com Bolsonaro, as pessoas que foram alvos dos mandatos de Moraes tiveram a propriedade privada violada, assim como a sua honra atentada devido à surpresa causada por uma visita da Polícia Federal às suas casas.

Por fim, Bolsonaro ainda afirmou que nunca teve a intenção de exercer controle sobre a PF, mas os acontecimentos da última quarta-feira serviram para mostrar que as ordens absurdas não devem ser cumpridas e, portanto, é necessário impor limites.

Siga a página Sergio Moro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!