Regina Duarte, que atualmente ocupa o cargo de secretária da Cultura do Governo Jair Bolsonaro, afirmou que “sempre houve tortura” no Brasil. A declaração foi feita pela atriz de 73 anos, durante uma entrevista concedida à CNN, quando também chegou a minimizar as mortes que foram causadas durante a Ditadura Militar, que ocorreu de 1964 a 1985. “A humanidade não para de morrer”, disse Regina, ressaltando que sempre que se fala “em vida, tem morte”.

Em seguida, Regina Duarte ainda questiona quantas mortes houve com Josef Stalin, e também quantas pessoas morreram com Adolf Hitler. Diante disso, a atriz diz não querer “jogar um cemitério de mortos” em suas costas, e afirma não desejar isso para ninguém.

“Sou leve, viva, estamos vivos, vamos ficar vivos”, declarou a secretária da Cultura do Brasil.

Além disso, Duarte também aproveitou o momento da entrevista para voltar a defender “a área da Cultura não deve se alinhar a esquerda ou à direita”, afirmou apoiar o presidente Jair Bolsonaro e ignorar as críticas relacionadas ao passado. “Cultura não tem lado”, disse a atriz, ressaltando que esta área “é aberta para a humanidade”, e entende todos os seres humanos.

"Eu apoio o governo Bolsonaro", diz Regina Duarte

Regina Duarte disse apoiar o governo do atual presidente porque acredita que ele continua sendo “a melhor opção para o país”. “Eu apoio o governo Bolsonaro”, disse a atriz, ressaltando não querer ficar olhando para o passado se não, segundo ela, acabará dando “trombada” e caindo no “precipício”.

“Vamos embora, para frente”, disse Duarte, que finalizou dizendo: “salve a seleção”.

Atriz descarta saída do governo

Ainda durante a entrevista, Duarte descartou todas as possibilidades de deixar o governo Bolsonaro, mas ressaltou que “lá fora” muitos parecem ter ansiedade de lhe ver fora de seu cargo político, mas ressalta estar “um clima super bom”.

Vale lembrar que após ter dito “sim” ao presidente, nesta quarta-feira (6), Regina Duarte completou dois meses à frente da secretária da Cultura brasileira.

Atriz é pega de surpresa com nomeação de Mantovani

Regina afirmou ainda em entrevista ao canal CNN Brasil, ter sido pega se surpresa com a nomeação de Dante Mantovani à presidente da Funarte (Fundação Nacional de Artes).

O maestro Mantovani havia sido demitido deste mesmo cargo há dois meses, na mesma época em que a atriz adentrou ao governo Bolsonaro, porém, recebeu sua nomeação ao cargo através de uma portaria divulgada na madrugada desta quarta-feira (6). Duarte afirma ter recebido a notícia da nomeação de Mantovani através de sua assessora, já que ela afirma que estava sem internet. “Fiquei muito surpresa”, afirmou ela.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!