Foi determinado nesta última segunda-feira (8) pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes que o Ministério da Saúde retome a divulgação dos dados acumulados do coronavírus através do portal oficial do órgão.

Em relação aos últimos registros que foram divulgados, o Brasil até o momento, segundo dados divulgados pelas Secretarias Estaduais de Saúde, conta com 37.312 mortes e 710.887 pessoas que já foram diagnosticadas com a doença.

A decisão tomada por Moraes veio após uma análise feita em relação a uma ação apresentada pelos partidos Rede Sustentabilidade, PSOL e PCdoB, que pediam para que a atualização diária do Governo fosse feita até as 19h30.

Ainda foi determinado pelo ministro que a Advocacia Geral da União (AGU) preste as informações "que entender necessárias" no prazo de até 48 horas.

Nova forma de divulgar dados de coronavírus

Na última semana, o governo adotou uma nova forma para que os dados em relação ao coronavírus fossem divulgados, em relação aos casos totais confirmados, mortes e também a curva de infecção por região afetada pela doença.

Devido a isso, a pasta passou a mostrar os dados em questão apenas referentes às últimas 24 horas. Com isso, os casos totais da doença no país passaram a ser omitidos nesta nova forma de divulgação que foi adotada pelo Ministério da Saúde.

Na decisão liminar de Moraes, o mesmo explicou que decidiu por determinar ao ministro da Saúde que seja mantida a integridade da divulgação diária dos dados epidemiológicos em relação à pandemia da Covid-19.

Ele ainda esclarece que isso se estende até mesmo ao site do Ministério da Saúde, com os números acumulados das ocorrências em relação à doença no país.

Segundo o ministro, a gravidade da pandemia no país exige neste momento que as autoridades tomem as medidas necessárias e possíveis para que seja feito o apoio e manutenção das atividades do Sistema Único de Saúde.

Na declaração, Moraes pontuou que o "grave risco de interrupção abrupta da coleta e divulgação" é algo negativo para o sistema de saúde do país, e que o ministério agora terá que voltar a apresentar os novos casos e óbitos conforme realizado até o dia 4 de junho.

Devido à decisão que foi tomada pelo governo de Jair Bolsonaro, quando passou a ser restrito o acesso aos dados em relação à pandemia da Covid-19 no país, os veículos de informação UOL, Estadão, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra decidiram se unir para trabalhar de forma colaborativa para conseguir as informações necessárias que não estão sendo divulgadas no momento pelo governo federal.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!