O filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o senador Flávio Bolsonaro, prestou depoimento no caso que investiga o esquema de rachadinhas na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) quando ainda atuava como deputado no Rio de Janeiro.

Durante o depoimento, Flávio alegou desconhecer qualquer tipo de pagamento realizado por Fabrício Queiroz (cumprindo prisão domiciliar) a qualquer membro de sua família, inclusive sua esposa.

De acordo com as informações reveladas pelo jornal O Globo, ele afirma também que nenhum pagamento foi recebido por sua família, por parte de qualquer outro funcionário da Alerj.

Investigações

As investigações referentes ao processo contradizem os depoimentos de Flávio Bolsonaro a respeito do esquema de rachadinhas. A quebra de sigilo bancário dos antigos assessores e funcionários do senador revelou uma série de pagamentos, inclusive um deles foi feito por Fabrício Queiroz a conta de Fernanda Bolsonaro, esposa de Flávio, onde Queiroz depositou um montante de R$ 25 mil no ano de 2011.

Depoimento

Em depoimento, Flávio alegou que não teve conhecimento algum a respeito deste pagamento, inclusive solicitou que olhassem "direitinho" o depósito, pois mesmo alegando desconhecer a origem do dinheiro ele tem certeza que o ex-assessor Queiroz nunca enviou depósitos à sua esposa Fernanda.

Ministério Público

De acordo com as informações do Ministério Público, o depósito de R$ 25 mil, mencionado na investigação foi usado pelo casal para o pagamento de uma entrada referente à compra de um imóvel. Flávio e Fernanda compraram um apartamento no mesmo ano.

Ainda segundo o MP, este pagamento não foi o único revelado pela quebra de sigilo bancário.

Fernanda recebeu um outro depósito, porém a identidade do responsável pelo pagamento não foi revelada no intuito de protegê-la.

Michelle Bolsonaro

Com a quebra de sigilo bancário, ao qual a revista Crusoé teve acessos com autorização judicial, foram identificados pagamentos realizados por Fabrício Queiroz também à primeira-dama, esposa de Jair Bolsonaro (sem partido).

Nas revelações publicadas pela revista, houve pelo menos 21 depósitos na conta de Michelle Bolsonaro desde o ano de 2011. As transações financeiras feitas à primeira-dama somam um montante de R$ 72 mil.

O presidente Jair Bolsonaro havia informado que apenas um depósito tinha sido realizado por Queiroz na conta de sua esposa, e que o valor correspondia ao pagamento de um empréstimo pessoal que ele teria feito ao amigo. As informações divulgadas nas investigações até o momento contradizem as alegações de Jair Bolsonaro e de seu filho Flávio Bolsonaro.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Corrupção
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!