Chico Rodrigues (DEM-RR), vice-líder do Governo do Senado, tornou-se recentemente alvo de uma operação da Polícia Federal (PF). Na quarta-feira (14), o político escondeu dinheiro dentro da cueca durante uma abordagem realizada em Boa Vista, no entanto, os policiais acabaram descobrindo a ação. Na operação, é investigado o desvio de recursos públicos que seriam destinados ao combate à pandemia do novo coronavírus, que foram derivados de emendas parlamentares. O mandado de busca e apreensão envolvendo Rodrigues foi autorizado pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com informações divulgadas em primeira mão pelo jornal O Estado de S. Paulo, foi encontrada a quantia de R$ 30 mil dentro da cueca do vice-líder do governo de Jair Bolsonaro. No entanto, o valor total encontrado na casa do político seria ainda maior, cerca de R$ 100 mil. As informações foram passadas ao jornal por duas fontes que tiveram acesso ao andamento da operação que investiga indícios de irregularidades em contratações realizadas com dinheiro público. Segundo o jornal, tais contratações geraram ao governo um sobrepreço de cerca de R$ 1 milhão.

Operação segue em sigilo

Por causa do sigilo em volta da operação, a PF se limita a afirmar que estão cumprindo sete mandados de busca e apreensão.

Ainda segundo a polícia, as investigações têm como principal objetivo desarticular um suposto esquema criminoso que tem desviado recursos públicos.

Segundo a CGU (Controladora-Geral da União), que participa da operação Desvid-19 em parceria com a PF, a investigação está sendo realizada em Roraima e apuram o desvio de recursos públicos por “direcionamento de licitações”.

Ainda de acordo com a CGU, as contratações suspeitas que estão sob investigação envolvem a Secretaria do Estado e da Saúde e envolvem cerca de R$ 20 milhões, valor que deveria ter sido usado para ajudar no combate à pandemia de Covid-19.

Bolsonaro vai dar 'voadora' em quem se envolver em corrupção

No mesmo dia em que a operação Desvid-19 foi deflagrada, Bolsonaro afirmou que dará uma “voadora no pescoço” do político que se envolver em esquemas de Corrupção.

E mais, uma semana antes, Bolsonaro disse ainda que a operação Lava Jato terminou, isso porque, segundo o presidente, não há casos de irregularidades no seu governo. Vale lembrar que Bolsonaro vem sendo duramente criticado por militares e lavajatistas que afirmam que após o início de sua gestão as pautas envolvendo anticorrupção no governo acabaram enfraquecendo.

Durante o julgamento do caso do criminoso André do Rap, o ministro Luís Roberto Barroso chegou a mencionar a investigação Desvid-19. Segundo o parlamentar, ele tem monitorado detalhes do cumprimento do mandado de busca e apreensão que, segundo ele, estava envolvendo uma das autoridades com foro no Supremo, no entanto, não revelou o nome da mesma.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Corrupção
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!