Sergio Moro, ex-juiz da Operação Lava Jato e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Jair Bolsonaro (sem partido), foi anunciado como sendo o novo sócio-diretor da consultoria norte-americana de gestão de empresas Alvarez & Marsal.

Em entrevista a Rede Globo, o ex-juiz confirmou a informação, mas não quis falar sobre o assunto no momento.

Sergio Moro desembarcou do governo Bolsonaro no último mês de abril, após acusar o presidente de tentativa de interferência política na Polícia Federal.

O agora desafeto de Jair Bolsonaro permaneceu ao lado do ex-capitão do Exército por um ano e quatro meses.

Moro pediu para sair depois de Bolsonaro ter decido trocar o comando da Polícia Federal (PF). O mandatário resolveu trocar o então diretor-geral da corporação, Maurício Valeixo, que fora indicado para o posto pelo próprio Sergio Moro. A PF está vinculada à pasta da Justiça.

Em seu pronunciamento no ministério da Justiça, o ex-juiz afirmou que não tinha objeções à troca do comando da PF, mas pediu que Bolsonaro lhe apresentasse motivos para a troca.

Moro na época afirmou ainda que Bolsonaro queria "colher" informações dentro da Polícia Federal, como relatórios de inteligência.

Em seu novo emprego, Sergio Moro irá atuar na sede da empresa em São Paulo. O ex-juiz ficou encarregado da área de "Disputas e Investigações".

As voltas que o mundo dá

A Alvarez e Marsal presta consultoria judicial ao Grupo Odebrecht, uma das maiores empreiteiras do Brasil e que foi investigada na Operação Lava-Jato. Moro, na época, era juiz federal no Paraná e conduziu os processos da Lava Jato.

Currículo

Crimes de colarinho branco, lavagem de dinheiro, crime organizado, investigações anticorrupção de alta complexidade.

Estas foram as áreas que a empresa divulgou em seu site que o ex-aliado de Jair Bolsonaro irá atuar, além de dar conselhos aos clientes sobre "estratégia e conformidade regulatória proativa".

Foi destacada ainda pela empresa a experiência de seu ilustre novo contratado de mais de vinte anos e foi citada a Operação Lava Jato, que foi definida como "maior iniciativa de combate à corrupção e lavagem de dinheiro da história do Brasil".

Nunca antes na história deste país

O texto elogioso ao ex-ministro de Bolsonaro afirmou que a Lava Jato provocou uma onda anticorrupção não apenas no Brasil, mas em toda a América Latina.

Segundo a nota da empresa, Moro teve atuação destacada tanto como juiz federal como também como ex-ministro da Justiça e Segurança Pública.

Moro colaborou com autoridades da América Latina, Europa e América do Norte em investigações sobre suborno, tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e crime organizado, afirmou a nota.

Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!