Na noite da última quarta-feira (16), a deputada Isa Panna (PSOL) estava conversando com o presidente da Alesp (Assembleia Legislativa Estadual de São Paulo), quando veio por trás o deputado Fernando Cury (Cidadania) que, além de abraçá-la, ainda teria apalpado os seios da colega.

O caso repercutiu em toda a imprensa, pois circulou o vídeo gravado das câmeras da própria Alesp. Assim, o assunto sobre o abuso no trabalho volta à pauta e outras deputadas mostraram seus relatos numa matéria da Folha de S.Paulo.

Na reportagem da Folha, a deputada Tabata Amaral (PDT-SP) relara pela primeira vez o abuso que sofreu.

Segundo ela, o abuso aconteceu logo após ser eleita, quando estava na Câmara e um deputado – que ela não conhecia – abordou-a e abraçou muito forte e não queria soltar.

Diz Tabata que ficou “superincomodada” e deu um empurrão no parlamentar, ficando bastante constrangida. Mas, não foi o último, relata a parlamentar, já que no fim de 2019 uma situação muito parecida aconteceu. Pois, Tabata estava numa confraternização entre os parlamentares quando uma amiga dela precisou se meter para que um deputado a largasse.

Segundo a própria parlamentar do PDT, o deputado a teria puxado e a abraçado com força, sem querer soltá-la. A amiga, então, começou a bater na mão dele, as duas ficaram assustadas e Tabata foi embora aos prantos, segundo seu relato.

A parlamentar disse que não denunciou o colega porque não acreditava que seria responsabilizado pelo Conselho de Ética da Câmara. Tabata ainda disse que seria exposta e atacada caso levasse o caso para a mídia e para as mídias sociais.

Outra parlamentar que diz ter sofrido abuso sexual foi a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), que também foi candidata a prefeita de São Paulo.

Disse Joice que um deputado da direita abusou dela na última terça-feira (15), na confraternização caseira entre os parlamentares, logo depois da sessão do Parlamento Federal.

Segundo Joice, o caso aconteceu enquanto estavam dançando quando esse parlamentar a abordou por trás, segurou o braço dela – que diz ter ficado “roxo” – e encostou o corpo dele no dela.

Joice disse que não teve duvida, virou e bateu no dorso da mão no rosto do homem.

Ainda houve outra parlamentar que relatou abuso. A deputada federal Áurea Carolina (PSOL_MG), que foi candidata a prefeitura de Belo Horizonte, disse que estava em uma reunião de uma comissão – entre várias da Câmara – quando um outro colega se sentou ao seu lado e começou a puxar conversa sobre o assunto pautado.

Segundo relato da deputada à Folha, o colega colocou a mão na sua coxa. Logo depois, Áurea retirou a mão do homem e teria dito que ele não poderia fazer isso. Ele, por sua vez, disse que não tinha percebido o que havia feito. Áurea disse que não tinha filmagens e nem testemunhas, então avaliou que não valeria a pena fazer uma denúncia formal contra o colega.

Deputado Fernando Cury disse estar em paz

O deputado estadual de São Paulo, Fernando Cury (Cidadania) disse na sessão da última quinta-feira (17) que se sente muito triste e bastante constrangido pelo que aconteceu, quando foi acusado pela colega Isa Penna (PSOL). Cury foi afastado do Cidadania pela liderança nacional do partido.

O parlamentar se desculpou pelo que ele chamou de “abraço”. Contudo, o gesto foi gravado pelas câmeras que faziam uma transmissão da sessão da Alesp. Disse, ainda, que estava frisando que não tinha havido nenhuma tentativa de abuso ou de importunação sexual ou qualquer outra coisa. Ainda complementou que não ia fazer isso na frente de 100 deputados, salientando estar "em paz".

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!