Rodrigo Maia (DEM-RJ), atual presidente da Câmara dos Deputados, revelou nesta última quarta-feira (27) que a intenção do presidente da República Jair Messias Bolsonaro (sem partido) é fazer com o parlamento se torne um anexo do Palácio do Planalto. Maia também relatou que estima cerca de R$ 20 bilhões as emendas que foram oferecidas pelo governo federal a parlamentares que firmarem apoio ao Arthur Lira (PP-AL) à presidência da Câmara.

As declarações foram uma forma de resposta que Maia usou para afirmações feitas pelo presidente em uma reunião com os deputados do PSL na manhã desta quarta-feira (27) .

Jair Bolsonaro falou sobre sua intenção de influir na presidência da câmara através de parlamentares do partido.

Maia afirmou que esse ato do presidente seria um alerta a todos os deputados sobre a intenção do anexo do Palácio do Planalto, e isso resultaria em um enfraquecimento de cada deputada e deputado eleitos diante da Câmera dos Deputados em debates juntamente com a população.

O presidente da Câmara chegou a defender a candidatura do deputado Baleia Rossi (MDB-SP), o qual estaria tentando emplacar como seu sucessor, em contraproposta ao candidato apoiado pelo presidente Bolsonaro Arthur Lira (PP-AL).

Maia faz duras críticas ao governo Bolsonaro

O atual presidente da Câmara diferiu contra as falas de Jair afirmando que o que os deputados precisam é de um candidato que saiba dialogar, mesmo que seja da oposição do governo, mas que saiba o real poder que é o Parlamento.

Ele também afirmou que o candidato deve desenvolver suas pautas ouvindo o povo brasileiro, o governo e principalmente cada um dos 512 deputados eleitos na Câmara.

Maia ainda disse que as emendas que estão sendo prometidas aos parlamentares, cerca de R$ 20 bilhões, pelo Planalto, não tem mínima condição de serem pagas pelo candidato e o governo do Bolsonaro.

Essas emendas, segundo o presidente da Câmara, são consideradas "extraorçamentárias", ou seja, o valor vai além das emendas que veem constando nas propostas de orçamentos previstas para 2021 no Congresso Nacional.

Além de toda a questão desses valores, Maia retomou a discussão sobre o Congresso realizar uma investigação afim de averiguar qual o papel que o governo federal está empenhando no combate ao novo coronavírus.

No início desta semana, Rodrigo relatou que tinha certeza que o atual ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, veem comentando crimes na gestão da crise que o vírus vem causando no país.

Partidos da oposição tramam uma coleta de assinaturas afim de apresentar um pedido necessário de instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), afim de investigar o tema. O número mínimo de assinaturas exigido é de 171 signatários.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!