Nesta segunda-feira (26), o presidente da República, Jair Bolsonaro, chamou a jornalista Driele Veiga, que atua como repórter na TV Aratu, de “idiota”. O insulto ocorreu quando a jornalista perguntou ao presidente sobre a imagem divulgada pelo Planalto e que ganhou as mídias sociais neste fim de semana. Na imagem, Bolsonaro surge com um cartaz simulando um cartão de CPF e com a palavra “cancelado”. Na maioria das vezes, a referência acontece quando alguém morre. O presidente foi alvo de diversas críticas por causa desta imagem que foi publicada em um momento de crise da Covid-19.

Bolsonaro insulta jornalista na Bahia

O insulto do presidente aconteceu durante sua visita ao estado da Bahia, nesta segunda-feira. Esta é a segunda viagem que o presidente realiza ao estado neste ano. Ele visitou a cidade de Feira de Santana com o objetivo de participar da inauguração de um trecho de 22 km de uma rodovia entre a Bahia e Sergipe. Em sua visita ao local, segundo informações do portal G1, o presidente causou aglomeração e transitou sem o uso de máscara de proteção defendida pela OMS. Além disso, o portal destacou que o presidente andou de carro com a porta aberta, algo que é proibido.

Durante sua passagem no município, a jornalista perguntou ao presidente sobre as críticas que ele tem recebido devido à foto do CPF cancelado neste momento que o Brasil enfrenta um alto número de vítimas da Covid-19.

O país já aproxima da marca das 400 mil mortes por coronavírus. Bolsonaro respondeu à jornalista indagando-a se ela não tinha nada para perguntar e que era para deixar ser “idiota”.

Sindicato lamenta insulto de Bolsonaro à jornalista

o Sindjorba (Sindicato dos Profisisionais no Estado da Bahia) lamentou o insulto feito pelo presidente à jornalista.

Na nota, o sindicato diz que lamenta por ter que mais uma vez vim a público criticar a atitude de Bolsonaro. Além disso, o sindicato afirmou que não poderia deixar de expressar repúdio à ofensa feita pelo mandatário do país. A nota destacou que a jornalista Driele Veiga foi ofendida apenas por estar exercendo sua função que é realizar uma entrevista para aqueles que estão investidos em cargo público.

Esta não é a primeira vez que o presidente dispara ofensas contra jornalistas. No ano passado, segundo dados do Repórteres Sem Fronteiras, o presidente e seus filhos realizaram 469 ataques à imprensa. Em março de 2021, o epresidente foi condenado a pagar R$ 20 mil por danos morais a Patricia Campos Mello, jornalista do jornal Folha de S.Paulo. Ela processou o presidente após ser alvo de um ataque verbal do mandatário em 18 de fevereiro de 2020.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!