Renan Calheiros (MDB-AL), o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid (CPI), atacou as ações do Governo Bolsonaro e falou em “agenda da morte”. Além disso, o parlamentar defendeu imparcialidade e isenção na CPI da Covid. Entretanto, enfatizou que eventuais culpados deverão ser punidos "imediatamente e emblematicamente".

Renan ataca ações do governo Bolsonaro em relação à Covid-19

O senador afirmou que não foi por acaso que o país enfrenta este quadro atual de crise na saúde pelo número elevado de mortes por Covid-19. Ele falou em responsáveis e culpados por omissão, ação e incompetência.

Segundo o parlamentar, esses culpados serão punidos tão logo se comprovem os referidos erros. Para Renan, esta será uma resposta para que todos se conectem com o planeta. Além disso, ele afirmou que os crimes cometidos contra a humanidade não prescrevem e são transacionais.

O senador ressaltou que eles têm a obrigação de apontar os culpados pelo cenário atual do país na saúde. Ele também citou que as pessoas que agem de maneira correta não podem ser equiparadas com aquelas que erraram, pois, segundo ele, o erro não é atenuante, mas sim "a própria tradução da morte”. Ele disse que os brasileiros têm direito de saber quem foram os responsáveis para que milhares de pessoas morressem no Brasil, e que estes responsáveis devem ser punidos "imediatamente e emblematicamente".

Além disso, Renan também afirmou que os brasileiros têm o direito de voltar a viver em paz, dar um fim na mentira e pontuou que a cruzada será contra o que ele denominou de "agenda da morte". "Nossa cruzada será contra a agenda da morte", disse. Antes disso, ele ressaltou que a CPI não tinha o objetivo de investigar nomes ou instituições, mas os responsáveis pelos erros.

Renan critica militar no comando da pasta da Saúde

Em seu discurso, Renan fez criticas ao governo Bolsonaro por designar um militar para estar à frente do comando da pasta da Saúde. Ele estava se referindo ao general Eduardo Pazuello, que foi escolhido por Bolsonaro para comandar a pasta. Renan disse que o resultado da atuação dele na pasta já fala por si só.

Ele disse que militares foram designados para atuarem em quartéis e médicos na saúde. O senador acrescentou que quando esta ordem é invertida, o resultado é o número catastrófico de mortes, como esta acontecendo no país.

De forma indireta, Renan faz mais críticas ao governo Bolsonaro

Ainda em sua fala, o senador, de forma indireta, fez algumas críticas ao governo Bolsonaro. Ele disse que o negacionismo em relação à Covid-19 deverá ser investigado e devidamente provado, porém, segundo ele, "o negacionismo em relação à CPI da Covid já não resta a menor dúvida".

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!