A abertura da CPI da Covid no Senado, determinada pelo ministro do STF Luís Roberto Barroso, dividiu opiniões. Após o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), manifestar-se sobre a decisão, foi a vez do seu vice, Hamilton Mourão, falar sobre o assunto. O general foi enfático ao se mostrar contra a decisão de Barroso, tomada nesta quinta-feira (8).

Mourão não concorda com decisão de abertura de CPI da Covid

Após ser questionado durante entrevista no Palácio do Planalto, na manhã desta sexta-feira (9), Mourão falou sobre o que pensa acerca da abertura da CPI da Pandemia.

O vice de Bolsonaro discordou da decisão e afirmou que concorda com o posicionamento do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que foi contra a instalação da CPI neste momento. Pacheco defendeu que o país está enfrentando um momento delicado na saúde e que esta decisão não era viável no momento.

Assim como Pacheco, Mourão disse que o momento atual não pede esta investigação. Segundo ele, isso causará "atrito" e apenas irá desperdiçar energias. O general disse que isto se configura como “uma interferência que não é devida” e que o momento pede mais união de forças para superar a crise. Além disso, o general elogiou o posicionamento de Pacheco, porque, segundo ele, o presidente do Senado fez uma análise mais ampla acerca da situação do Brasil.

Mourão disse ainda que já está acontecendo uma investigação acerca da atuação do Governo diante da crise em Manaus e que quaisquer omissões já estão sendo investigadas neste inquérito.

Bolsonaro se manifesta sobre decisão de CPI da Covid

O presidente da República se manifestou antes de Mourão sobre a abertura da CPI da Covid.

Bolsonaro também se mostrou descontente com a decisão, ao dizer que o Brasil já está sofrendo muito com a crise na saúde e que o que menos precisa neste momento são de conflitos.

Bolsonaro também disse que ele tem seguido fielmente o que rege a Constituição e que nada foi feito fora de seus preceitos. O presidente também alegou que a população está cada dia mais interessada em política e estudado os acontecimentos do país.

O mandatário afirmou que seria bom se todos também seguissem o que pede a Constituição.

Rodrigo Pacheco foi contra a abertura da CPI da Covid

O presidente do Senado também já se mostrou contra a decisão várias vezes. Ele defende que o atual momento de crise sanitária não é favorável para a abertura da investigação. Além disso, ele afirmou que isto servirá como “palanque político” para eleições 2022. A afirmação foi realizada nesta quinta-feira (8), em entrevista no Senado após decisão de Roberto Barroso.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!