Na manhã do último domingo (8) aconteceu um grave acidente, e cinco dos jovens que estavam no carro, morreram na Rua Ramiro Magalhães, que fica no bairro do Encantado, na Zona Norte do Rio de Janeiro, na altura da saída 2 da Linha Amarela.

Outras três pessoas também ficaram feridas. Segundo os bombeiros, o carro teria batido direto na mureta, com 8 pessoas dentro do automóvel. Os jovens mortos são: Guilherme Moreira, de 20 anos, Thaissa Castro, de 21, Juan Carlos, de 24, Italo Ribeiro, de 21 e Alex, de 20.

O acidente

Um Jetta de cor cinza colidiu fortemente em uma mureta e jogou os jovens para fora do carro.

Os bombeiros disseram que as outras três vítimas foram levadas para o Hospital Municipal Salgado Filho, que fica no Meier, com situação de saúde bastante estável. Seus nomes são Juliana Oliveira, de 25 anos, Thamires Carneiro, de 20 e Douglas Silva, de 21.

Segundo um dos moradores da região, Paulo Roberto, em entrevista a TupiFM foi uma cena bastante triste. O morador classificou o acidente como "pavoroso" e "muito horrível de se ver" e, ao mesmo tempo, "de ter vontade de chorar”.

Na entrevista, o homem ainda disse que ficou sabendo do acidente pelo barulho do veículo dos bombeiros, e ainda dava para ouvir os gritos dos parentes das vítimas.

Ainda segundo informações do site Tupi FM, o carro com os jovens saiu do evento Espaço Hall, o antigo Barra Music, que fica na Gardênia Azul, Jacarepaguá, na Zona Norte do Rio de Janeiro, e já se direcionavam para casa.

Os jovens moravam em bairros da Zona Norte do Rio, como Oswaldo Cruz, Cascadura e Quintino.

Os parentes das cinco vítimas que morreram no acidente estavam no IML (Instituto Medico Legal) da região de São Cristóvão para reconhecer o corpo e fazer a liberação. Uma dessas vítimas fatais era Thaissa Castro, que tinha apenas 21 anos, e havia se formado recentemente em Educação Física.

Mães lamentam morte das filhas

A mãe de uma das vítimas do acidente, Thaissa Castro, teve que ser amparada enquanto reconhecia o corpo da filha de apenas 21 anos, e lamentava a morte da jovem, que havia acabado de se graduar no ensino superior.

Segundo o jornal O Dia, a mãe da vítima Luciana Castro dizia não acreditar no que aconteceu enquanto reconhecia o corpo da filha.

Ela, que estava muito abalada, precisou ser amparada por outros familiares e pelos amigos que chegavam ao IML para reconhecer e liberar os outros corpos dos cinco jovens na manhã desse domingo (8).

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página WhatsApp
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!