Taynara Diniz, de 29 anos, afirma ter sido espancada por cinco seguranças na noite do último domingo (5), na Vila Mix, casa noturna localizada na Vila Olímpia, bairro da zona sul de São Paulo. A empresário relatou a agressão em sua página em uma rede social. Segundo o relato da empresária, depois de ter se desentendido com um desconhecido na pista de dança, foi encaminhada pelos seguranças do local para uma sala reservada, onde teria sido espancada.

A jovem diz que levou socos na cabeça, nos olhos e nas costas, além de levar chutes nas pernas e ter seu vestido rasgado.

“Humilhação que passei”, disse.

Em nota, a empresa que gerencia o Vila Mix diz que a cliente em questão estava descontrolada naquela noite que ela teria agredido seguranças de uma firma terceirizada moralmente e também fisicamente. Ainda de acordo com o comunicado, a empresa afirma que já foi determinado o afastamento de todos os seguranças envolvidos no episódio até que tenha fim os esclarecimentos do caso.

Já a Secretaria de Segurança de São Paulo informou que o caso foi registrado no 96º DP e será investigado.

Ainda segundo a Secretaria, Taynara, assim como todos os envolvidos, já foram ouvidos no momento da ocorrência, mas a vítima foi convocada a comparecer novamente ao distrito policial para prestar mais informações que ajudem na solução do caso.

Discussão na pista de dança

De acordo com a versão de Taynara, tudo teve início depois que um homem jogou em seu rosto um copo de bebida alcoólica, e ela, sem condições de enxergar, por conta da bebida que atingiu seus olhos, deixou sua bebida cair no chão.

Foi quando os seguranças do local teriam percebido a movimentação anormal e a tiraram da pista para evitar uma maior confusão.

Após isso, a jovem relata que houve uma breve discussão e os seguranças a levaram para uma sala reservada, onde ela teria sido espancada. A empresária disse que os seguranças ainda esconderam o celular dela quando ela ameaçou chamar a Polícia. "Assim que começaram as agressões, eu comecei a ameaçar chamar a polícia.

Nesse momento roubaram o meu celular me deixando lá presa sem qualquer comunicação", contou.

Ainda segundo o relato de Taynara, três pessoas que estavam do lado de fora da casa noturna ouviram seus gritos de desespero e começaram a bater no portão pedindo para que os agressores liberassem a pessoa que estava sendo espancada.

Neste momento, um dos seguranças teria aberto o portão e dito aos três que não estava acontecendo nada, mas após serem informados de que a polícia já estaria a caminho, colocaram a jovem para fora da casa noturna.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!