Agentes da Polícia Civil estão investigando o caso da menina de 4 anos que foi atirada do quinto andar de um prédio na Vila Lageado, na zona oeste de São Paulo, na madrugada desta sexta-feira (24).

De acordo com as autoridades, diversas diligências estão sendo realizadas para saber se a criança foi arremessada pela própria mãe, que após jogar a menina pela janela teria tentado colocar fogo no apartamento e depois se jogado também do prédio.

Segundo relatos de policiais militares que atenderam a ocorrência, a mãe da menina teria rasgado a proteção da tela da janela do apartamento e depois atirado a criança que estava enrolada em um lençol.

A menina caiu em cima do para-brisa de um automóvel que estava estacionado na garagem do condomínio e sobreviveu à queda. A criança foi levada rapidamente pelo Corpo de Bombeiros da região para uma unidade hospitalar, que confirmou que ela sofreu apenas ferimentos leves.

Ainda de acordo os agentes, depois de jogar a criança, a mãe da menina passou a se aproximar diversas vezes da janela mencionando que também iria se pular do apartamento. Ao perceber a ação da mulher, uma equipe de policiais do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionada ao local para tentar convencê-la a deixar do imóvel normalmente. Membros da família também apareceram para ajudar nas negociações.

Depois de pelo menos duas horas de extrema negociação com a mulher, os policiais perceberam que ela colocou fogo em uma cortina no interior do apartamento e resolveram então invadir o local.

Assim que a mãe da criança percebeu que os agentes estavam tentando invadir o imóvel ela foi até a janela e se atirou. Após a queda, ela foi socorrida e encaminhado para o hospital onde se encontra internada em estado grave.

Uma testemunha que trabalha no condomínio onde ocorreu a tragédia disse que a família teria se mudado para o local há cerca de três meses e vivia no imóvel sob condição de pagamento de aluguel.

Pelo menos três equipes do Corpo de Bombeiros da região permaneceram no local para prestar socorro às vítimas. A ocorrência foi devidamente registrada no 91º DP e até o momento não é sabido o motivo de toda a ação da mulher.

Ajuda gratuita para pessoas depressivas

Para ajudar no tratamento de pessoas que possuem pensamentos suicidas e depressivos existe um atendimento gratuito e de forma anônima.

Todo atendimento pode ser realizado através de e-mail ou até mesmo por bate-papo pelo site do Centro de Valorização da Vida (CVV), ou também pelo número telefônico 188. Esse atendimento é prestado à população 24 horas por dia.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!