Na madrugada desta sexta-feira (14), o jornalista Clóvis Rossi, de 76 anos, integrante da Folha de S.Paulo, morreu na sua casa, em São Paulo. Clóvis que era casado há mais de 50 anos e estava se recuperando de um infarto sofrido na semana passada, que o deixou por um tempo internado no Hospital Albert Einstein. O jornalista deixa, além da esposa, três filhos e três netos.

O último texto do colunista e membro do Conselho Editoral do jornal paulista foi publicado nesta quarta-feira (12), intitulado "Boletim Médico".

Uma das filhas do jornalista, Cláudia, disse ao também jornalista Juca Kfouri que seu pai estava em recuperação, mas acabou passando mal nesta sexta-feira e não resistiu.

Clóvis Rossi será velado no Cemitério Gethsêmani, no Morumbi, zona sul de São Paulo, a partir das 16h desta sexta-feira. O enterro será no sábado, às 9h.

Clóvis nasceu no dia 25 de janeiro de 1943, em São Paulo, mesmo dia em que a cidade comemora aniversário. O jornalista se consagrou na carreira na Folha de S. Paulo, onde escrevia atualmente às quintas e domingos e exercia o cargo de repórter especial.

Ele estava no jornal desde 1980.

Jornalista explica ausência

Após ter se ausentado no último domingo (9), o jornalista fez questão de explicar sua ausência através de um texto publicado em sua coluna nesta quarta-feira (12). Rossi relatou ter sofrido um infarto na sexta-feira (7), tendo que ser submetido a uma angioplastia para a colocada de um stent. No entanto, ele explica aos leitores que não foi suficiente e precisou ser submetido a outra angioplastia nesta terça-feira (11), onde foram colocados mais quatro stents em seu corpo.

Clóvis aproveitou o espaço para expressar sua felicidade por ter ocorrido tudo bem e parabenizou a eficiência e rapidez do atendimento do Hospital Albert Einstein. O jornalista também agradece ao médico José Mariani, da Hemodinâmica do hospital, responsável por colocar os stents. Os médicos Giuseppe Dioguardi e Cláudio Rossi, irmão do jornalista, também foram citados no seu agradecimento.

Apesar do quadro crítico, o jornalista se mostrou otimista, dizendo que sua alta estava prevista para quinta-feira (13).

Rossi também ressaltou que se tudo ocorresse bem, já que seu músculo cardíaco não havia sido afetado, retornaria às suas atividades profissionais na semana quem vem. Para terminar, o jornalista deixa também seu agradecimento aos seus companheiros de trabalho da Folha. "Que me ampararam e até mentiram dizendo que estavam sentindo minha falta", brincou.

Prêmios

Consagrado no meio jornalístico, Rossi conquistou ao longo de sua carreira, dois dos mais importantes prêmios da área nas Américas: o Maria Moors Cabot e o da Fundação para um Novo Jornalismo Iberoamericano.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!