Um homem de 32 anos está sendo investigado pela Polícia por suspeita de ter abusado da prima de 5 anos por pelo menos cinco meses na cidade de Cubatão, litoral de São Paulo.

De acordo com informações do portal G1, no último dia 20 de junho a mãe da menina foi até uma lotérica para pagar uma conta e deixou a garota brincando no quintal. Quando retornou ao imóvel, achou estranho as portas e janelas da casa estarem fechadas e a menina estar dormindo enrolada em um lençol. Dias depois, ela percebeu que a filha estava com um sangramento nas partes íntimas.

Mesmo após as agressões, a menina só contou o que houve para mãe no dia 31, pois teria sido ameaçada de morte caso revelasse o ocorrido.

A menina disse que o primo teria pedido para que ela tirasse a roupa e em seguida a violentou. Conforme a mãe da vítima, a criança ainda tentou evitar o abuso se enrolando em um lençol, mas acabou sendo pega a força pelo suspeito.

A mãe ainda revelou que após o ocorrido a menina começou a cortar o próprio cabelo e passou a não querer usar mais roupas femininas.

"Ela falava que não queria ser mais mulher, que era uma coisa muito ruim, e eu achei aquilo tudo muito estranho, então observei mais ela", disse a mãe.

Menina chegou a pedir para morrer

"Quando ela me falou que queria morrer foi muito difícil. Fiquei muito mal, não sabia como reagir e por onde começar. Eu nunca pensei que ele fosse capaz de fazer isso, era como um irmão. Ela era ameaçada de morte para não contar.

Quero justiça", disse a mãe da menina.

A criança agora passará por um tratamento psicológico e de acordo com a psicóloga responsável por atender a menina, geralmente quando ocorre algum tipo de mudança de comportamento repentina com as crianças isso pode indicar algum tipo de sinal de abuso, o que deve ser investigado pela família. Ainda segundo a profissional, é natural que a criança abusada acabe por desenvolver outros tipos de medo.

Segundo o boletim de ocorrência registrado na delegacia, o próprio pai do suspeito acredita que tenha sido ele o responsável por cometer o crime. Em depoimento, ele afirmou que seu filho já teria cometido um abuso sexual contra outra menina, de 8 anos, que seria neta de sua madrasta.

Ao ser indagado pela mãe da vítima, o homem negou a participação no crime. Em uma troca de mensagens por celular ele teria oferecido sua casa e um terreno à prima caso ela retirasse a denúncia contra ele na delegacia.

Em uma entrevista, o pai da menina e também amigo de infância do suspeito se mostrou revoltado com toda aquela situação.

Tanto ele quanto a mãe pedem justiça para o caso.

O suspeito ainda não foi detido. O caso está sendo investigado pela Delegacia da Mulher (DDM) de Cubatão.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!