Heronildo Martins de Vasconcelos, de 45 anos, suspeito de violentar e matar Aline Dantas, de 19 anos, foi preso nesta quarta-feira (2) pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba. O suspeito era porteiro, mas no momento está desempregado. Aline desapareceu no dia 8 de setembro, depois de sair de casa para comprar fraldas para a filha. O crime aconteceu no município de Alumínio, interior de São Paulo. Mesmo já tendo sua prisão temporária decretada pela Justiça, Vasconcelos nega as acusações.

De acordo com informações passadas pela Polícia, o suspeito não conhecia Aline e nem ao menos alguém de sua família e a teria escolhido por acaso. Os exames periciais indicaram que a jovem mãe foi violentada antes de ser morta e ainda resistiu e lutou contra o criminoso. Isso de acordo com as marcas do braço de Aline.

Mesmo o suspeito negando as acusações, a equipe policial conseguiu provas suficientes para que sua prisão fosse decretada. Isso porque, segundo a polícia, exames de DNA indicaram que os resíduos de esperma encontrados em Aline eram compatíveis com Heronildo, e mais, as peles colhidas nas unhas da jovem também são compatíveis com o DNA do suspeito.

Se culpado, esse não será o primeiro problema do suspeito com a Justiça. Isso porque, segundo a polícia, Vasconcelos já havia tido uma passagem em 2012, quando foi acusado de cometer uma tentativa de abuso.

O crime

Aline Dantas saiu de casa com a intenção de comprar fraudas para sua filha de 1 anos e 9 meses, no entanto, não voltou mais. De acordo com imagens filmadas por câmeras de segurança, Aline seguiu em direção à farmácia e também foi filmada caminhando de volta, em direção a sua casa no bairro Pedágio.

Nas imagens obtidas pela polícia também foi possível perceber um homem seguindo a jovem. Isso depois que a vítima optou por cortar caminho por uma trilha. Segundo policiais, esse homem seria Heronildo.

Além disso, também foi descoberto que um dia após o crime Vasconcelos compareceu a um velório, onde teria furtado álcool gel, seguindo assim para o local do crime na intenção de incinerar o corpo de Aline.

Vale ressaltar que o corpo da jovem foi encontrado parcialmente queimado.

Após a família dar queixa do desaparecimento de Aline, as investigações tiveram início no mesmo dia. Enquanto policiais realizavam buscas com a ajuda de cães farejadores, moradores da região também se mobilizaram para ajudar na busca da jovem. Depois de três dias de buscas, o corpo e Aline foi encontrado no meio de uma mata.

Para chegar ao provável assassino de Aline, a polícia ouviu 30 pessoas e chegou a analisar mais de 100 horas de imagens de câmeras de segurança. Além disso, foi colhido também DNA de quatro suspeitos, entre eles, Vasconcelos.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!