No último sábado (16), foi realizado o primeiro encontro da União Nacional dos Estudantes Conservadores (Unecon), coordenado pelo deputado Douglas Garcia (PSL-SP), de 25 anos de idade. Segundo o coordenador, atualmente, as universidades seriam tomadas por uma "ideologia de esquerda totalitária, ditatorial". O parlamentar afirma querer ter um núcleo da Unecon dentro de cada faculdade, para que os estudantes pudessem vir a se fortalecer e defender suas bandeiras.

O encontro ocorreu na Rua Vergueiro, zona sul de São Paulo, em um salão no quarto andar de um prédio baixo. Teve a participação do universitário Nicolas Ferreira, de 22 anos, que, em seu discurso – feito com bastante raiva de seus professores da PUC de Belo Horizonte - se mostrou a favor da ideologia de “direita” comparou o feminismo ao nazismo. A crítica foi usada ao se referir à eventual legalização do aborto, uma vez que, segundo ele, a quantidade de crianças mortas no ato do aborto equivaleria ao mesmo número de crianças eliminadas na segunda Guerra Mundial.

De acordo ao universitário, os números provariam a proximidade entre aborto e Holocausto. Assim como o evento também teve a presença de quatro jovens – vestidos com calças camufladas e camisas justas no corpo – montando guarda na porta. De acordo com o bombeiro civil Caio Santana, de 20 anos, eles estavam ali para poder evitar qualquer tumulto que viesse a acontecer.

Alunos mostram apoio a Jair Bolsonaro (PSL)

Assim como o universitário Nicolas Ferreira e o coordenador Douglas Garcia, todos os presentes se mostraram apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Mulher

De acordo com o guitarrista André Silva, o fato de o presidente não dar ouvidos ao que falam sobre ele seria a maneira de manter o governo forte. E, ainda, a vocalista Natália Oliveira, de 26 anos, indaga: "Quem disse que roqueiro não pode ser conservador?".

Em determinado momento do encontro, após muitos comentários e discursos realizados, ocorreu a “gincana de adivinhações”. Os jovens foram divididos em dois grupos e a organização propôs que fizessem um teste de conhecimentos gerais com os que ali estavam.

Contendo perguntas como: "qual estadista conservadora britânica era conhecida como a dama de ferro?", ou então: "quem escreveu a obra Casa Grande e Senzala?".

A mão de um dos voluntários do encontro – que se localizava cerca de cinco metros de ambos os grupos, com os braços esticados horizontalmente no ar - deveria ser tocada, com agilidade, pelo participante que soubesse a resposta correta. Ao fim da gincana, o ganhador do prêmio foi um dos integrantes do grupo vencedor, que fora escolhido por sorte, visto que todos os integrantes foram enumerados.

Um número foi escolhido para ser o ganhador do livro “A Verdade Sufocada”, do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra (1932 – 2015).

O vencendor foi Jamerson Carlos Lopes, um pedreiro maranhense de 20 anos de idade que não tinha conhecimento nenhum acerca de quem era Carlos Alberto Brilhante Ustra. O coordenador do encontro afirma que a escolha do livro não teve a intenção de criar polêmicas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo