O autor Walcyr Carrasco que atualmente está com “A Dona do Pedaço” no ar, e terá o seu fim no dia 22 de novembro, utilizou de uma “mesma história” em suas últimas três Novelas. Em “Amor a Vida”, de 2013, e “O Outro Lado do Paraíso”, de 2017, e agora com “A Dona do Pedaço”, o autor criou maridos gays que tinham casamento de anos com mulheres, e que acabaram, ao longo da trama, sendo expulsos do armário.

Além deste fato que se repetiu nas últimas três novelas do autor, Walcyr também tem um apreço todo especial por vilãs que atacam os seus inimigos com objetos cortantes.

Algo que ele repetiu agora novamente em sua trama atual, e gerou um dos momentos ápices das últimas semanas.

Maridos gays que saem do armário

Os personagens começaram com o inesquecível Félix (Mateus Solano), que fez de tudo, até que chegou ao ponto de conquistar o amor de seu “carneirinho”. Em seguida, Samuel (Eriberto Leão), e agora chegando a Agno (Malvino Salvador), que está na atual trama escrita pelo autor.

Isso, no entanto, demonstra que Carrasco usou e abusou da história de homens gays casados que se mantém enrustidos para suas mulheres.

Os três passaram algum tempo da trama mantendo um casamento de fachada com suas esposas, mas acabaram terminando a novela ao lado de seus companheiros do sexo masculino.

Agora, outra coisa que o autor usa e abusa em suas obras é o fato de que alguns de seus personagens acabam sendo vítimas de vilãs que usam da mesma técnica para acabarem com eles: os atacam com objetos cortantes. Ninho e Mariano, que foram interpretados pelo ator Juliano Cazarré, foram vítimas desta "técnica".

Agora, em “A Dona do Pedaço”, Téo (Rainer Cadete) acabou sofrendo o mesmo na mão da vilã Josiane (Agatha Moreira), que desferiu golpes com um picador de gelo.

O que estes três personagens têm em comum é o fato de que eles passaram um bom tempo na trama sendo enganados pelas vilãs, que esperaram um momento oportuno para atacá-los. Os dois primeiros foram atacados, respectivamente, com uma faca e uma tesoura.

O último, o fotógrafo Téo, foi vítima da patricinha falida que o atacou com um picador de gelo. Outra coisa que eles têm em comum, e mostra o apreço do autor por este tipo de desfecho, é o fato de que eles “voltaram da morte”, e entregaram seus algozes para a polícia.

Estes desfechos para os personagens criados pelo autor Walcyr Carrasco mostram que a fórmula, pelo visto, ainda faz sucesso. Visto que agora, na reta final de “A Dona do Pedaço”, a situação toda envolvendo o “picotado” da vez, o fotógrafo Téo, rendeu muitos momentos tensos, que culminaram no julgamento de Josiane, fazendo com que a vilã fosse presa e condenada por 30 anos pelos dois assassinatos que cometeu e pela tentativa contra Téo.

Siga a página Novelas
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!